Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

SEM MANUNTENÇÃO

Praça recém-reformada de Belém já está precária

quarta-feira, 29/07/2020, 07:40 - Atualizado em 29/07/2020, 07:40 - Autor: Denilson D’Almeida


Mato e lixo dominam as calçadas da praça, além da ferrugem em grades
Mato e lixo dominam as calçadas da praça, além da ferrugem em grades | Wagner Santana

No ano passado, a Prefeitura de Belém anunciou um investimento de aproximadamente R$ 5 milhões para reformar algumas praças na cidade, entre elas a Dalcídio Jurandir, no bairro da Cremação. Por lá, a obra até foi concluída, pelo menos parcialmente. O problema é que os recursos empregados nesta reforma não foram seguidos de políticas públicas voltados para uma melhor utilização da praça, tampouco para a sua manutenção. Atualmente, lixeiras já estão danificadas e entulhos estão acumulados pela área verde da praça. Além disso, a comunidade se queixa da ausência de rondas de guardas municipais, o que contribui para que a praça vire um reduto para usuários de drogas e esconderijo de assaltantes.

Ontem, enquanto a reportagem circulava pela praça, uma faca foi encontrada perto de um jambeiro. O objeto, segundo o auxiliar de serviços gerais Ricardo Fonseca, 43, que faz caminhada pela praça Dalcídio Jurandir, pode ter sido abandonado por um dos assaltantes que agem pelo local, principalmente no horário da noite. “É um descaso com a praça, sabe? Só fizeram essa reforma porque é ano de eleição, mas a impressão que tenho é que a obra está incompleta”, disse.

Criminosos se escondem no anfiteatro para cometer assaltos no local
Criminosos se escondem no anfiteatro para cometer assaltos no local Wagner Santana
 

anelas da antiga usina estão quebradas, com a estrutura deteriorada
anelas da antiga usina estão quebradas, com a estrutura deteriorada Wagner Santana
 

O anfiteatro está sem uso – até por causa da pandemia de Covid-19 –, mas já foi pichado. As ruínas e estrutura da antiga usina de cremação de lixo, que acabou dando nome ao bairro, ainda são um problema para a comunidade, pois são nelas que os assaltantes e usuários de drogas se escondem. Para Ricardo, este espaço deveria ser usado para alguma finalidade cultural ou museu. “As pessoas jogam lixo, filhote de animais e se drogam aí dentro”, frisou.

Por causa da insegurança, a Praça Dalcídio Jurandir foi local para duas ocorrências de homicídios nos últimos meses. O caso mais recente foi registrado no último dia 18. Um homem de cerca de 50 anos de idade foi encontrado morto no prédio da usina.

Resposta

- A Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb) informa que a praça foi reformada recentemente, com novas calçadas, pisos, bancos, brinquedos, academias e lixeiras, além de pintura e iluminação pública e adaptações para ser uma arena cultural.

- O órgão diz ainda que “infelizmente, o vandalismo prejudicou a reforma e os danos deverão ser reparados, atendendo pedidos da comunidade.”

- O crematório está fechado, mas ações de vandalismo quebram o isolamento para acessarem o local.

- A Prefeitura está avaliando o melhor destino para a segurança do espaço.

- A Prefeitura reforça que também é dever da população zelar pelo bem público e denunciar danos ao patrimônio público.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS