Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
31°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

NEGÓCIOS

Vendas na internet ajudam pequenos negócios na crise

terça-feira, 16/06/2020, 08:22 - Atualizado em 16/06/2020, 10:00 - Autor: Tiago Furtado


Izys Bandeira vende roupas femininas e ela mesmo entrega nas casas dos clientes
Izys Bandeira vende roupas femininas e ela mesmo entrega nas casas dos clientes | Reprodução

Para evitar a queda nas vendas e no faturamento, pequenos empreendedores têm buscado na tecnologia uma forma de evitar prejuízos em meio a pandemia da Covid-19. Por este motivo, as vendas digitais têm tido um desempenho cada vez mais durante os dias em que comércios foram forçados a fechar suas portas para o atendimento presencial.

Um aumento que pode ser traduzido em números já que uma pesquisa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm) registou um aumento de 107 mil novas lojas on-line entre os dias 23 de março e 31 maio. É o caso da Mayara Fernanda, dona de uma loja de confecções, maquiagens e bolsas, localizada no município de Ponta de Pedras, no Arquipélago do Marajó. Ela se viu obrigada a fechar as portas do próprio negócio e vivia a angústia por ter prejuízos e declarar falência, mas graças ao uso das redes sociais, em especial o Facebook e o WhatsApp, além do delivery, o faturamento manteve-se praticamente o mesmo de antes da pandemia. “Eu pensei que não ia vender e o medo era de não conseguir pagar as contas, mas está tudo indo bem graças a Deus. Eu vendo produtos que não são considerados essenciais e mesmo assim estão consumindo e comprando, principalmente maquiagem e roupas”, disse.

Mayara também disse que sempre via as redes sociais como apenas uma espécie de suporte para as vendas presenciais, mas com o sucesso e o bom retorno financeiro, pretende seguir com esta nova forma de fazer negócios. “Eu fazia a propaganda na internet e esperava o cliente vir na loja física, mas com a pandemia agora faço toda a venda na internet e o único contato é apenas na hora da entrega”, afirma. “Eu pretendo continuar com isso, uma coisa que não tinha amadurecido a ideia e vou continuar porque, até certo ponto, as vendas cresceram”, afirmou.

Mayara compensou loja fechada vendendo pelas redes sociais
Mayara compensou loja fechada vendendo pelas redes sociais Reprodução
 

Segundo uma pesquisa da Compre & Confie, o número de pedidos on-line durante o mês de maio cresceu 132,8%, em comparação com o mesmo período do ano anterior. O levantamento mostrou que, entre 1º de maio e 24 de maio deste ano, o número de pedidos feitos pela internet no país somaram 23,8 milhões, totalizando um faturamento aproximado de R$ 9,4 bilhões.

PROTOCOLOS

Quem também tem tido bons frutos com a venda digital é Izys Bandeira, que faz comercialização de roupas femininas, cosméticos e peças íntimas. Ela que começou a empreender para conseguir bancar seus estudos , revela as ferramentas que usa para a venda via internet. “Eu uso o WhatsApp, Facebook e Instagram. Resolvi entrar nesse ramo por causa dos meus estudos e porque gosto dessa relação com o público. É algo que eu gosto e graças a Deus, semana por semana, consigo me manter e fazer crescer minha loja virtual”, comemorou.

Izys é quem separa o produto e faz a própria entrega na casa dos clientes e, para demonstrar cuidado e zelo com os materiais, tenta seguir todos os protocolos de higienização dos produtos. “As vendas aumentaram muito mais do que eu imaginava, mesmo assim faço questão de levar as compras com toda a cautela. Nesse momento difícil em que a gente vive, entrego também um pequeno frasco de álcool em gel e uma cartinha de motivação. Eu pretendo continuar nesse meio e me dedicar ao público, além de abrir uma loja física no futuro”, completou vislumbrando o futuro pós-pandemia.

Saiba usar cada canal de comunicação

É fundamental entender as particularidades de cada rede social. Use-as da melhor forma possível e agregue valor à comunicação da sua empresa. Por exemplo:

INSTAGRAM

Mostre o cotidiano do negócio com fotos e vídeos curtos. Você pode usar e abusar das hashtags (#). Elas são capazes de expandir o alcance da sua empresa e tornar sua marca mais conhecida. Use hashtags que tenham a ver com o o que você faz. Também busque apoio de influenciadores digitais e promova vendas alinhadas com o WhatsApp.

YOUTUBE - É uma das redes mais consumidas. Permite explorar vídeos em diversos formatos: séries, entrevistas, conteúdo sobre como fazer algo e muito mais.

FACEBOOK- É uma ferramenta que pode reforçar a presença digital da empresa por meio da interação com os clientes. Além disso, divulgar sua empresa nesse canal tem um custo relativamente baixo.

WHATSAPP - Não é uma rede social, mas merece ser mencionado. Nele você pode convidar seus clientes por meio das redes sociais e ter mais informações via esse aplicativo, permitindo uma negociação personalizada. Mas tome cuidado com essa interação. Ela deve ser feita de forma consciente e não invasiva.

TWITTER - Atualmente é uma das melhores plataformas para a publicidade. Uma rede dinâmica e atualizada é um dos melhores sites para difundir conteúdo facilmente e criar engajamento com seus seguidores. Mas você deve avaliar se faz sentindo para o seu negócio. É uma rede social que tem uma pegada mais jornalística, de compartilhamento de informações em tempo real.

Comunicação de qualidade

As redes sociais são espaços muito visuais. Por isso é legal usar imagem e materiais de boa qualidade e pensar em ações focadas em interação, que é fundamental para conquistar engajamento do público. Portanto, solte a criatividade.

Canais de venda

Não é imprescindível ter um e-commerce para ter uma presença marcante nas redes sociais. No entanto, cabe ao empreendedor avaliar a real necessidade e a viabilidade de desenvolver esse canal de venda. É possível comercializar produtos pelas redes sociais. você pode divulgar pelo Instagram, encaminhar por WhatsApp e fechar a venda por lá usando um meio de pagamento on-line. Faça um bom planejamento e organize-se para não prejudicar nem o cliente nem o seu negócio.

Público-alvo

É fundamental definir o perfil do público-alvo que você deseja atingir para ter uma comunicação mais eficaz e eficiente. As redes sociais permitem que as informações sejam direcionadas de forma muito precisa para um público muito específico. Não é o que acontece em outros canais de comunicação, como o jornal impresso ou a televisão. Eles falam com o público geral.

Fonte: Sebrae

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS