Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

PRECAUÇÃO

Helder anuncia criação de 4 hospitais com 720 leitos para combater coronavírus

terça-feira, 24/03/2020, 22:46 - Atualizado em 24/03/2020, 23:14 - Autor: Com informações Agência Pará


Governador Helder Barbalho ao vivo para anunciar medidas contra o COVID-19
Governador Helder Barbalho ao vivo para anunciar medidas contra o COVID-19 | Reprodução

Durante a live desta terça-feira (24), o governador do estado do Pará, Hélder Barbalho, anunciou novas medidas de combate ao novo coronavírus. Entre elas, a construção de 4 hospitais de campanha, que serão erguidos simultaneamente no Pará.

A previsão dada pelo governador, é que as obras iniciem na próxima segunda-feira (30) e que em 20 dias todas as estruturas hospitalares temporárias estejam em funcionamento. As unidades contarão com 720 leitos, distribuídos nos municípios de Belém, Marabá, Breves e Santarém. Cada leito custará, em média, R$5 mil para o Estado. 

Hospital de Campanha é o termo militar, comumente usado em situações de desastres ou calamidade pública, referindo-se a uma pequena unidade médica móvel, ou mini-hospital, que cuida temporariamente de pacientes antes que possam ser transportados com segurança para instalações permanentes.

Em Belém, a estrutura será no Hangar Centro de Convenções da Amazônia, com 420 leitos, que também atenderá a região metropolitana, o nordeste do Pará, o baixo Tocantins e parte do Marajó.

Outro hospital será construído no centro de eventos de Marabá, com 120 leitos, que irá atender sul e sudeste do estado; Santarém receberá a estrutura dentro do estádio Barbalhão, com 120 leitos, para moradores do oeste do estado, além das regiões do Tapajos, Xingu, Baixo Amazonas e Calha Norte.

Mais 60 leitos serão construídos em Breves, no arquipélago do Marajó, para atender cidades mais distantes de Belém, como Melgaço, Curralinho, Anajás e Portel. As unidades serão de baixa complexidade, para atender os pacientes que necessitam de acompanhamento. O objetivo, segundo o governador, é desafogar os hospitais para receber casos considerados graves. Hélder disse também que, caso for necessário o transporte rápido para distribuição dos pacientes por estes hospitais, o Estado dispõe de uma estrutura de UTI aérea já contratada. 

A empresa paulista, que atua no setor de infraestrutura e engenharia, na qual Hélder fechou contrato para a criação dos hospitais, apresentou um projeto arquitetônico com base nas normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas) e demais regulações do Ministério do Trabalho. Nele, a empresa sugere instalar os hospitais de campanha em Centros de Convenções ou estruturas semelhantes. Mas também deixa claro que o projeto pode ser alterado se um outro tipo de espaço for disponibilizado. Os hospitais de campanha devem operar no Pará por 120 dias no mínimo.

Além disso, Hélder também anunciou o novo balanço do Covid-19 no Estado, os dados são da Secretaria de Saúde do Pará (Sespa): 5 confirmados, 241 descartados e 154 em análise. "Todos os casos analisados de ontem para hoje foram descartados", afirmou Hélder.

Pacientes graves - A Sespa também já dispõe de 15 mil kits com os medicamentos Hidroxicloroquina e Azitromicina. Esse tratamento está validado pelo Ministério da Saúde, e será destinado apenas a casos graves de pacientes com Covid-19 que estiverem respirando com auxílio de aparelhos.

O secretário Alberto Beltrame alertou para o perigo do uso indiscriminado da Hidroxicloroquina, medicamento também utilizado para tratamentos de malária e lúpus. Atualmente, Hidroxicloroquina só pode ser comercializado com receita médica e ministrado com acompanhamento de um profissional. "É desastroso o uso por conta própria. Este remédio era vendido sem receita; hoje, não é mais. Ele tem contraindicações, efeitos colaterais sérios, de alto risco. Por isso está reservado para casos graves de Coronavírus, sob recomendação do médico", ressaltou o titular da Sespa.

Testes - Helder Barbalho esclareceu que o governo está trabalhando para reforçar e ampliar o número de exames feitos diariamente. A expectativa é que a partir do próximo fim de semana sejam analisadas 120 amostras por dia. "Hoje, uma equipe do Laboratório Central do Estado (Lacen) esteve na Universidade Federal do Pará (UFPA), e nós passaremos a usar parte dos equipamentos do laboratório, já que a universidade está com as aulas suspensas. Além disto, na sexta-feira virão técnicos do Ministério da Saúde, particularmente da Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz), que estarão validando a vinda de novos equipamentos, permitindo assim a probabilidade de até 120 exames avaliados", explicou o governador.

Leia também:

Pará: governo oferece empréstimos para micros e pequenos empreendedores

"Não vou pedir licença para proteger os paraenses", diz Helder 

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS