Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
26°
cotação atual R$

Notícias / Mundo-Notícias

PERIGO NAS REDES

Facebook bane páginas e grupos ligados à teoria da conspiração QAnon

Grupo é conhecido principalmente por promover a violência nas redes sociais

quarta-feira, 07/10/2020, 09:28 - Atualizado em 07/10/2020, 09:28 - Autor: FOLHAPRESS


FBI classifica o QAnon como uma potencial ameaça de terrorismo doméstico.
FBI classifica o QAnon como uma potencial ameaça de terrorismo doméstico. | Reprodução

O Facebook classificou nesta terça-feira (6) como perigoso o movimento da teoria da conspiração QAnon -e começou a remover grupos e páginas dedicados a ele na rede social, assim como contas do Instagram que se identificam como seus representantes.

A medida amplia uma determinação de agosto que proibiu um terço dos grupos QAnon por promover violência, mas deixou que a maioria deles permanecesse no ar com restrições na frequência com que o conteúdo aparece em feeds de notícias.

LEIA MAIS:

Entre na brincadeira: crie o seu avatar no Facebook

Homem é condenado por expor ‘nudes’ de adolescente no Pará

Polícia investiga homem-pateta, perfil que instiga crianças e adolescentes ao suicídio

Em vez de atuar a partir de denúncias de usuários, a equipe do Facebook agora tratará o QAnon como outras entidades militarizadas, ativamente procurando e excluindo grupos e páginas, afirmou a empresa.

O movimento é impulsionado por um anônimo apelidado de Q, que afirma ser integrante do governo americano. A teoria central, sem fundamento, é de que o presidente Donald Trump está secretamente liderando uma repressão contra uma enorme rede de pedófilos que inclui importantes democratas e a elite de Hollywood.

Segundo seus membros, a salvação só virá após uma intensa mobilização conservadora que vencerá essa classe. O momento tem vários nomes: "Reset" (reinício), "Grande Tempestade" ou "Grande Despertar".

Desde as restrições de agosto, alguns grupos do movimento adicionaram membros e outros usaram linguagem codificada para evitar a detecção.

Enquanto isso, adeptos trabalhavam para se integrar em novos grupos, como aqueles preocupados com a segurança de crianças e dedicados a criticar de medidas contra aglomerações devido ao coronavírus, de acordo com pesquisadores do Facebook e de fora da empresa.

"Embora tenhamos removido todas as publicações do QAnon que incitam e apoiam o uso de violência, temos visto outros conteúdos do movimento ligados a diferentes formas de causar danos no mundo real, incluindo alegações recentes de que os incêndios florestais na Costa Oeste foram iniciados por certos grupos", escreveu o Facebook.

"As mensagens do QAnon mudam muito rapidamente, e vemos redes de apoiadores ganharem audiência com uma mensagem e, em seguida, mudar rapidamente para outra."

Postagens recentes do QAnon espalharam informações falsas sobre a eleição e sobre a Covid-19, disseram os pesquisadores, e alegaram até mesmo que o presidente dos EUA, Donald Trump, falsificou seu diagnóstico de Covid-19 para orquestrar prisões secretas.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS