Diário Online

Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
26°
cotação atual R$
MAS ASSIM...

CPI da Covid: namorada de Wassef fez recursos no Planalto

Acordão? Assessora da Presidência e namorada do advogado do clã Bolsonaro, Frederick Wassef, Thais Amaral Moura é a autora de sete requerimentos em favor do presidente.

sexta-feira, 30/04/2021, 08:55 - Atualizado em 30/04/2021, 08:55 - Autor: Com informações de O Globo e BRASIL 247


O casal tem sido visto junto em público desde fevereiro deste ano.
O casal tem sido visto junto em público desde fevereiro deste ano. | Reprodução

Thais Amaral Moura, assessora do Palácio do Planalto foi quem elaborou os requerimentos apresentados por aliados de Bolsonaro na CPI da Covid. No entanto, ela também é namorada de Frederick Wassef, advogado do clã Bolsonaro.

Thais e Wassef têm sido vistos juntos em público desde fevereiro deste ano, em jantares e eventos do governo. O casal porém, não esconde o relacionamento. A informação é da jornalista Malu Gaspar, do jornal O Globo.

Thaís Amaral é assessora especial da Secretaria de Assuntos Parlamentares da Presidência da República desde janeiro deste ano, quando foi transferida do Ministério do Turismo para a secretaria de Governo.

Ela detém um DAS.5, o segundo mais alto nível para os cargos comissionados, atrás apenas do DAS 6,  remuneração normalmente reservada a secretários e ministros. Sua última remuneração líquida foi no valor de R$ 16.240,60.

Bolsonaro diz que Antártica fica no Brasil e vira piada

Ainda segundo Malu Gaspar, Thais é a autora de sete dos requerimentos apresentados à CPI pelos senadores Ciro Nogueira (PP-PI) e Jorginho Melo (PL-SC). A identificação da autoria aparece nos metadados dos documentos, registro que indica data e horário em que o arquivo foi criado, quem o criou e quantas modificações foram feitas até o momento.

Ações escusas de Wassef

Wassef, apelidado de "anjo" pela mulher do ex-assessor Fabrício Queiroz, recebeu o valor de R$ 9 milhões da JBS, o frigorífico dos irmãos Joesley e Wesley Batista.

"Bolsonaro é criminoso", alertam deputados Europeus

Os registros dos pagamentos consistem de documentos obtidos pelos promotores do Ministério Público do Rio de Janeiro que investigam a relação de Wassef com Fabrício Queiroz, no esquema das "rachadinhas" no gabinete do então deputado estadual e atualmente senador Flávio Bolsonaro. O advogado, inclusive, escondeu Queiroz em seu sítio em Atibaia, durante os meses que ficou foragido da polícia.

Wassef tem uma relação íntima com o presidente Jair Bolsonaro e sua família. Ele frequenta os Palácios da Alvorada e do Planalto, mantém conversas com o presidente até de madrugada e também se gabava de ter sido o primeiro a incentivar a candidatura à Presidência da República.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS