Notícias / Pará

CASO JOÃO DE DEUS

Acusado de matar filho de dono do Grupo Líder é julgado. Assista ao vivo

Quinta-Feira, 25/04/2019, 08:52:36 - Atualizado em 25/04/2019, 12:37:21 Ver comentário(s)

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Acusado de matar filho de dono do Grupo Líder é julgado. Assista ao vivo (Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

Jeferson Sampaio, de 27 anos, será julgado nesta quinta-feira (25) no Fórum Criminal Lauro Sodré, em Belém. Ele é acusado de envenenar João de Deus Pinto Rodrigues, filho de João Rodrigues, um dos proprietários do Grupo Líder. O caso ocorreu em 27 de fevereiro de 2015 por dose letal de gota em quantidade mortal. Ele morreu de overdose, dentro da boate Element.

O julgamento começou às 8h da manhã, quando foram escolhidos os jurados. A apresentação do réu pela Susipe, entretanto, atrasou, e o júri foi iniciado sem a presença dele, que deverá chegar ao local ainda durante a manhã.

AUDIÊNCIA

A fase de depoimentos foi iniciada por uma testemunha de acusação, uma jovem que afirmou ter visto Jeferson retirar a droga do bolso da calça e tentar empurrar a substância na boca da vítima.

A segunda testemunha e amiga da vítima disse que Michel colocou a droga em um suco na festa de fim de ano na casa de praia de João de Deus.

A terceira, também amiga da vítima, relatou que viu Jeferson Sampaio oferecer drogas ao grupo de pessoas que estavam no lugar, horas antes da morte de João.

Já a quarta testemunha de acusação, o médico Luiz Carlos Matos, amigo de João de Deus e que prestou atendimento ao empresário, disse em depoimento que a vítima já estava convulsionando e mandou levarem imediatamente ao hospital.

Resta agora mais uma testemunha de acusação e 11 pessoas arroladas pela defesa, entre eles o delegados do caso e peritos.

GOTA

A gota é um tipo de droga fatal utilizada em baladas, que pode ser diluída em água e tem como principal característica ação rápida provocando excitação nos usuários.

Convulsões, delírios, descontrole muscular e amnésia são os principais distúrbios causados pelo entorpecente até levar a morte.

LEIA TAMBÉM:

(DOL com informações do TJPA)



Conteúdo Relacionado:





Comentários

Destaques no DOL