Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$

Notícias / Polícia

Polícia

Cirurgião plástico é investigado por mortes e deformações em pacientes

sexta-feira, 29/03/2019, 13:13 - Atualizado em 29/03/2019, 14:04 - Autor:


Após denúncia feita pela digital influencer Camilla Bezerra Dantas, conhecida por "Camila Uckers", em dezembro de 2017, o cirugião plástico Danilo Dias está sendo investigado por duas mortes e cinco deformações em pacientes.


O médico realizou procedimentos mal sucedidos em Lia, Sandra, Sara, Camilla, Maria do Carmo e Marta Régia, entre os anos de 2015 e 2019.



Duas das pacientes estão mortas e cinco sofreram deformações. A Polícia Civil investiga a conduta do médico que continua atendendo normalmente em Fortaleza.


Camilla relata que tem sequelas psicológicas até hoje. "A primeira coisa que me fez escolher o Danilo (Dias) foi porque ele fazia permutas. O acordo era ele não cobrar nada pela cirurgia e eu divulgar o trabalho dele em minhas redes sociais, que tinham muitos seguidores. Eu pesava 37 kg e fui internada para colocar silicone nos glúteos, fazer rinoplastia e uma lipoaspiração, no mesmo dia. Acabei com uma lesão no nervo ciático e uma hemorragia. Nada vai ser como antes, o Danilo Dias acabou meu sonho”, disse ela.


Na época, antes de fazer a cirurgia, Camilla publicou nas redes socais a expectativa que tinha em realizar o sonho dela.



 


Visualizar esta foto no Instagram.

Entrando agora na sala de cirurgia. ARROCHA @danilordias !!!

Uma publicação compartilhada por Camilla Uckers (@camillauckers) em


Um pedido de prisão por tentativa de homicídio foi encaminhado pela defesa da youtuber ao Ministério Público do Estado (MPCE).



Com o aumento de relatos parecidos e o número de vítimas, o delegado titular do 2º DP, Carlos Teófilo, tornou o inquérito coletivo em 2017. No entanto, a Polícia tomou conhecimento da morte da médica Lia Coelho Pacheco Dias, em 2016. Nove dias depois da mulher realizar uma lipoaspiração, com isso, o inquérito foi transferido para o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A delegada Evna Paixão, está a cargo das investigações.


Em nota, a Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que "o DHPP investiga as denúncias contra um cirurgião plástico em Fortaleza. Mais detalhes serão divulgados no momento oportuno para não comprometer a investigação". 


Outros casos


Esse não é o primeiro caso que acabou em morte e envolveu o cirurgião. No dia 9 de março deste mês, o médico prestou depoimento em uma delegacia de São Paulo, após uma paciente não resistir a três paradas cardíacas, logo após um procedimento de lipoaspiração. A Polícia Civil de São Paulo encaminhou Danilo até o 16º DP, onde ele confessou ter realizado o precedimento. No Ceará, ele nunca chegou a ser ouvido.


Contudo, um policial cearense que está envolvido nas investigações, afirmou que o inquérito está quase pronto. "Muita gente foi ouvida, inclusive a família da médica que morreu, que era casada com um irmão do Danilo Dias. Com essa outra morte, em São Paulo, as coisas tendem a se complicar para ele. As investigações dos casos com sobreviventes tendem a considerá-lo um risco à sociedade, por conta da série de negligências. Já o caso da médica, que era cunhada dele, caminha para se configurar como um homicídio com dolo eventual (quando não há intenção, mas se assume o risco de matar)", disse o investigador.


Danilo Dias, se identificava nas redes sociais como @danilordias, na última quarta-feira (27), ele excluiu o perfil onde tinha vários seguidores. De acordo com a polícia, a exposição pode prejudicá-lo.


"Quanto mais foto com famoso, legenda dando dica, depoimento de procedimento bem sucedido, pode parecer má-fé, diante da quantidade de casos de mutilações e mortes, em que ele está sendo investigado. As negligências vão parecendo mais irresponsáveis se ele continuar se mostrando ao púbico como um grande cirurgião", disse.


Sindicâncias contra o médico pela realização de permutas, tramitam no Conselho Regional de Medicina (CRM). Para o policial, este é outro ponto que pode prejudicar Danilo.


"Ele fazia muitas permutas, ou seja, não cobrava pelos procedimentos realizados em famosos, em troca de divulgação nas redes sociais deles. Foi assim que se tornou um médico conhecido", afirmou.


(Com informações do Portal Tribuna do Ceará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS