Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$

Notícias / Polícia

INVESTIGAÇÕES CONTINUAM

PM é preso por envolvimento em assalto a banco no interior do Pará

A Polícia Civil continua as investigações para prender os demais envolvidos no crime, que resultou na morte de um refém usado como escudo humano pelos criminosos.

quarta-feira, 03/02/2021, 22:01 - Atualizado em 04/02/2021, 10:56 - Autor: Fernanda Palheta


Crime aconteceu em dezembro do ano passado.
Crime aconteceu em dezembro do ano passado. | Reprodução / Vídeo

Foi presa na manhã desta quarta-feira (3) uma segunda pessoa envolvida no assalto ao Banco do Brasil que aconteceu na cidade de Cametá, nordeste paraense, em dezembro do ano passado.

Um policial militar, cuja identidade não foi revelada, estava em Tucuruí, sudeste paraense, quando foi abordado no local de trabalho. A prisão faz parte de uma operação policial deflagrada pelas equipes da Divisão de Repressão e Combate ao Crime Organizado da Polícia Civil.

Como parte das diligências, foram realizadas buscas em dois endereços que também pertencem ao acusado. As investigações continuam para prender os demais envolvidos no crime.

Relembre

O assalto aconteceu na madrugada de 2 de dezembro de 2020 e ficou marcada na memória da população cametaense que testemunhou uma quadrilha fortemente armada, fazendo dezenas de reféns e promovendo pânico com intensas trocas de tiros contra a polícia.

Bandidos não levaram dinheiro de banco em Cametá, diz investigação

A ação durou mais de uma hora e é conhecida como “vapor” ou “novo cangaço”, quando uma quadrilha invade uma cidade com forte aparato bélico, como fuzis e explosivos, tendo como alvo instituições bancárias, delegacias e até quartéis da polícia.

E MAIS:

  1. Refém de assalto a banco em Cametá relata extrema violência dos bandidos; veja o vídeo!
  2. Imagens inéditas mostram o momento de explosão do banco em Cametá
  3. Enterro de locutor morto durante assalto em Cametá é marcado por homenagens

Na época, os alvos foram as agências do Banco do Brasil e Banpará. Segundo a polícia, uma pessoa usada como refém foi alvejada pelos criminosos e morreu, a vítima era um locutor muito querido na cidade. Outro morador também foi atingido, foi socorrido e não correu risco de morte.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS