Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
27°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

RENDA

Guia para empreender na crise: aprenda o passo a passo

domingo, 02/08/2020, 08:17 - Atualizado em 02/08/2020, 09:13 - Autor: Luiz Octávio Lucas


Laércio dos Santos faz sucesso com venda de ovos caipira.
Laércio dos Santos faz sucesso com venda de ovos caipira. | Celso Rodrigues/Diário do Pará

Do isolamento social necessário por causa da pandemia, o produtor rural Laércio Garcez dos Santos viu surgir uma oportunidade de negócios. Hoje microempreendedor individual (MEI), o apaixonado por animais passou a fazer delivery de ovos caipiras regionais para uma clientela ainda pequena, mas que mais que dobrou com a chegada do novo coronavírus.

“Já tinha a criação de galinhas e produção de ovos, mas era mais para consumo, vendia mais para os amigos. Com a pandemia, muitas pessoas começaram a me procurar porque não podiam sair de casa, aí comecei a vender, entregar em domicílio. Às vezes ia de Uber, pegava ônibus”, explica Laércio. “Antes eu tinha oito clientes, hoje tenho uns 20 clientes”, relata.

O sucesso nas vendas levou o pequeno produtor a procurar o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), afinal, o MEI tem visto a demanda aumentar e já percebeu que as cerca de 60 galinhas que mantém são insuficientes para se comprometer com encomendas de novos clientes.

“Estou aumentando o plantel, não quero me comprometer a fornecer e não dar conta. Agora consegui me tornar MEI, quero fazer uma coisa mais profissional, mas sem perder o artesanal”, planeja. “Sempre tive essa paixão por bichos de infância, então porque não ganhar dinheiro com o que se gosta?”, justifica.

No pequeno negócio dos ovos caipiras, Laércio espera melhorar a estrutura, que segundo ele não é muito dispendiosa, e chegar a umas 500 galinhas poedeiras. “Quero fazer uma reserva de ração razoável para ter lastro maior na comida, armazenamento, diversificar a qualidade

dos ovos”, enumera.

COMO EMPREENDER

Seu Laércio pode até não ter a galinha dos ovos de ouro da história infantil, mas teve espírito empreendedor para lucrar na crise. E quantas pessoas hoje estão desempregadas, receberam alguma indenização, querem investir em algum negócio, mas não sabem nem por onde começar? Quem vê na abertura de um pequeno negócio a solução para fazer renda, precisa ter bem mais que uma ideia na cabeça. A gerente de relacionamento do Sebrae no Pará, Keyla Reis, afirma que o passo a passo gira em torno de uma palavra, “planejamento”.

“Planejar pode ser o diferencial para o sucesso de um negócio. A abertura e o gerenciamento exigem conhecimento do mercado que você está inserido, o público, quem são os clientes que você vai vender, planejar cada etapa”, lista. “Uma administração considera as estratégias de marketing, como você se comunica, além de inovação. O mercado pede isso”, avisa Keyla.

EM ALTA NO PARÁ

Pelo visto, o conselho serve para muita gente no Estado. O Pará ocupou o segundo lugar no ranking nacional de abertura de empresas no primeiro quadrimestre de 2020, de acordo com o 1º Boletim Mapa de Empresas, divulgado pelo Ministério da Economia, no último dia 18 de junho. De acordo com o balanço, de janeiro a abril, o Estado registrou 23.541 empresas abertas e crescimento percentual de 15,6 % em relação ao último quadrimestre de 2019, e 16,7% em relação aos primeiros quatro meses de 2019. Se você quer engrossas essa relação de empreendedores, confira as principais recomendações da especialista no box ao centro!

TIRE DO PAPEL!

Bote em prática o passo

a passo do empreendedor

ORGANIZAÇÃO

Saiba que negócio abrir. Não sabe por onde começar? Comece a pesquisar ideias e tipos de empreendimentos. “No portal do Sebrae tem 210 ideias de negócios para se fazer essa pesquisa e o perfil, se você tem para tocar. A partir daí você começa a organizar um plano de negócios, para ter mais chance de sucesso no mercado”, pontua a gerente de relacionamento do Sebrae Pará, Keyla Reis.

MONTE UM PLANO

Verifique os dados reais de mercado, as finanças, marketing, se o local será físico ou pela internet. “Organize essas informações. Você vai iniciar de fato a construção do plano de negócios para definir estratégias e posicionar mais corretamente essa empreitada”, explica a gerente. “No plano você vai descrever como a empresa está estruturada, localização, equipamentos, capacidade produtiva, número de funcionários, as tarefas de cada um”.

INVESTIMENTO

Com o plano de negócios, você vai ter noção de quanto vai precisar para investir, a previsão de retorno, lucro líquido, faturamento bruto e informações para possível acesso ao crédito, se for o caso. “Saiba como fazer a gestão desse dinheiro, quais os auxílios financeiros para essa necessidade. A partir dessa questão financeira, é partir para colocar a mão na massa”.

FORMALIZAÇÃO

A última etapa é você registrar o negócio. “Estar na legalidade é importante. Ao ter uma operação segura, você consegue acessar os benefícios de estar formal. Esse passo a passo é importante para quem está abrindo e para quem quer ampliar o empreendimento”. Keyla explica ainda que esse planejamento não elimina os riscos, mas diminui as incertezas sobre o seu negócio.

EVITE ERRAR

Entre as falhas mais comuns na abertura de um negócio estão a falta de planejamento, de capacidade comercial, não conseguir faturar o suficiente para as despesas, ter dificuldade em vender. É importante ter gestão financeira, controle de estoque, de caixa, conhecer quanto se está ganhando, investindo, as entradas e saídas. “Cuidado com a má definição da política de preços. Você coloca um preço sem ter a real noção de quanto ele custa para você”.

ESTUDO

É importante que você conheça o ramo de atividade que pretende se inserir, faça a análise do local, saiba quem são seus clientes, fornecedores, defina seu público-alvo para chegar nele da melhor forma possível. “Conhecer o que você está vendendo ajuda muito as pessoas a comprá-lo”.

FINANÇAS

É preciso ter a noção de quanto vai investir para se concretizar a empresa. Só se chega nesse valor quando você começa a descrever o que vai precisar para entrar em funcionamento: fluxo de caixa, capital de giro, estimativa de custo inicial, receitas, despesas, lucro. “Isso tudo vai impactar no valor que quero investir. Você vai ter uma visão de quanto vai ganhar. Às vezes você acha que vai lucrar uma coisa e a realidade é outra, por isso é importante fazer esse planejamento”.

DIRECIONAMENTO

Lembre-se que o plano de negócio vai ajudar a implementar o empreendimento na prática, mas é uma ferramenta de gestão, de administração do seu empreendimento. “Você vai estar sempre se ajustando para aumentar ou diminuir o negócio, se for o caso. Não são amarras, é um caminho que se deve seguir, mas ajustável”.

Diário do Pará
 


Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS