Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis


24°
R$

Notícias / Notícias Pará

FASE EXPERIMENTAL

Lanchas expresso substituem navios para Porto Camará; gratuidades são incluídas

quinta-feira, 12/09/2019, 23:22 - Atualizado em 12/09/2019, 23:22 - Autor: DOL


Decisão foi tomada após reunião na manhã desta quinta-feira (12) na sede da Arcon, em Belém
Decisão foi tomada após reunião na manhã desta quinta-feira (12) na sede da Arcon, em Belém | Dário Pedrosa

Após quase três horas de reunião na sede da Agência Reguladora de Serviços Públicos (Arcon), em Belém, nesta quinta-feira (12), foram apresentadas medidas alternativas para beneficiar a população que utiliza o transporte hidroviário das cidades de Soure e Salvaterra, no Marajó.

Sob coordenação do Ministério Público do Estado do Pará (MPPA) e da Direção Geral da Agência, foi apresentada a ideia de utilizar lanchas expresso com o atendimento das gratuidades para a população - ambos os pontos ficaram em aberto na última reunião e foram os mais polêmicos.

FUNCIONAMENTO

Durante a reunião, a promotora de Justiça de Salvaterra Paula Camacho solicitou aos empresários propostas de viabilidade do serviço com as lanchas, que ofereceram os seguintes horários de funcionamento: 6h15, 9h, 12h e 14h. Com saídas simultâneas do Porto Camará e de Belém, pelas empresas Banav e Arapari.

LEIA TAMBÉM: Qualidade do transporte para o Marajó e gratuidade são discutidos em reunião

“Teremos sempre uma lancha de sobreaviso para qualquer eventualidade de problema com alguma das embarcações, mas também deixaremos um navio para atender os período de pico de demanda, principalmente datas festivas e feriados prolongados”, explicou Carlos Bannach da empresa de Navegação Banav.

Um dos pontos mais polêmicos da reunião foi a questão da gratuidade
Um dos pontos mais polêmicos da reunião foi a questão da gratuidade Dário Pedrosa
 

GRATUIDADE

Um dos pontos mais delicados da reunião foi o assunto da gratuidade que os empresários argumentam que o serviço pode inviabilizar o serviço, tendo em vista o alto custo para a manutenção das lanchas.

“Temos o melhor equipamento de todas esta região e atendemos com padrão de qualidade e responsabilidade altos, mas isso tem um custo. Além disso, temos respaldo pela portaria do Governo do Estado nos isentando da gratuidade, o que permite mantermos este preço”, justificou Matheus Pinheiro da Master Motors.

Após uma longa discussão, ficou definido que as gratuidades serão atendidas em números fixos: cinco gratuidades nos horários das 6h15 e 14h30 e dez gratuidades nas viagens de 9h e de 12h; todos com assentos reservados e devidamente identificados em cada lancha, além da prioridade para idosos e deficientes - no caso da lancha Golfinho, esta terá a obrigação de atender cinco gratuidades por viagem.

Para o Deputado Wanderlan Quaresma, presente na reunião, todas as medidas serão válidas desde que busquem atender aos anseios da população. “Estamos buscando um incentivo do Governo através do ICMS para ajudar a melhorar este transporte. Já conversamos com o governador e ele disse que, se for pra ajudar o Marajó, está disposto até permitir a isenção deste imposto”, disse o parlamentar.

Durante o período de 40 dias e a partir do dia 23 de setembro, as empresas de transporte hidroviário entram em fase experimental. “Nesta fase, as empresas farão a retirada dos navios e a substituição por quatro horários de lanchas. Iremos avaliar se a nova alternativa vai atender a demanda e garantir maior qualidade e segurança aos usuários com o objetivo também de alavancar  o grande potencial turístico da região do Marajó”, conclui o diretor Geral da Arcon, Eurípedes Reis.

(Com informações de Dário Pedrosa)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS