Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$

Romarias

Transporte dos carros para a CDP

Este é o momento em que os doze carros das promessas utilizados na grande Festa do Círio são levados da Estação dos Carros, que fica ao lado do Centro Social de Nazaré, para os galpões da Companhia Docas do Pará (CDP), de onde saem no domingo. O percurso é feito durante a noite, em um dos dias da semana que antecede o Círio, e começa no Arraial de Nazaré, passa pelas travessas 14 de Março e Antônio Barreto, avenidas Visconde de Souza Franco e Marechal Hermes até o armazém da CDP. O trajeto é feito pela Diretoria da Festa, Guarda de Nazaré, promesseiros, representantes de colégios, motociclistas e Companhia de Transportes do Município de Belém (CTBel). De suas casas, devotos acompanham a caminhada. O momento também é prestigiado com fogos de artifício. A Berlinda não acompanha esse trajeto. Os objetos de cera danificados durante a procissão são derretidos e a cera é comercializada.

Romarias

Traslado Ananindeua

Na sexta-feira que antecede o Círio, acontece o traslado da imagem peregrina para os municípios de Ananindeua e Marituba, um percurso de 48,5 quilômetros, que começa ao meio-dia e termina às 20h. O Traslado para Ananindeua, como ficou conhecida esta procissão, é realizado desde 1992. Nos dois primeiros anos, a imagem de Nossa Senhora de Nazaré era levada em um cibório, uma armação em metal constituída de um teto arqueado (abóbada), sustentado por quatro colunas retorcidas. Hoje, a imagem peregrina é levada da Basílica Santuário de Nazaré em uma réplica da Berlinda em cima de um carro da Polícia Rodoviária Federal. A mudança ocorreu por conta da necessidade de proteger a imagem, que no cibório ficava exposta ao vento, sol e chuva. O percurso inicia na Basílica Santuário e passa pelas avenidas Nazaré, Magalhães Barata, Almirante Barroso e BR-316. Depois, segue pelos bairros Cidade Nova e Paar, em Ananindeua, e entrada do município de Marituba, até chegar a Igreja de Nossa Senhora das Graças, em Ananindeua. Lá, a imagem fica num palanque armado em frente à Igreja Matriz, onde passa a noite em vigília. Na manhã de sábado, a imagem é levada pelos devotos na romaria rodoviária.

Romarias

Romaria rodoviária

A Romaria Rodoviária foi criada pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e acontece desde 1989. Realizada no sábado, véspera do Círio, a romaria que leva a imagem peregrina da Matriz de Nossa Senhora das Graças, em Ananindeua, para o distrito de Icoaraci é precedida de uma missa às 5h. Há sete anos, essa procissão passou a ser organizada pela Diretoria da Festa com a colaboração da Polícia Rodoviária Federal, Prefeitura de Ananindeua e outros órgãos públicos. Após a celebração religiosa na Igreja Matriz, os motoristas começam o trajeto pela BR-316 até o Entroncamento, indo pela Rodovia Augusto Montenegro até Icoaraci, onde passam pelas ruas 8 de Setembro e São Cristóvão, parando no trapiche do distrito. Depois de um percurso de 24 quilômetros, a procissão chega a Icoaraci por volta das 8h, onde uma nova missa é celebrada. Às 9h, a imagem é colocada numa embarcação para continuar a viagem, rumo à Praça Pedro Teixeira, dando início à Romaria Fluvial.

Romarias

Romaria fluvial

Conhecida como "Círio das Águas", a Romaria Fluvial também é realizada no sábado, véspera do Círio de Nazaré. O percurso de 10 milhas até a Praça Pedro Teixeira começa às 9h, no trapiche de Icoaraci. A parada é em Belém na Escadinha do Cais do Porto (ao lado da Estação das Docas), por volta das 11h. Quando chega à Escadinha, a Imagem de Nossa Senhora de Nazaré é recebida com honras de Chefe de Estado, pela Polícia Militar, em Belém. A ocasião se repete desde 1999, motivada pela Lei Estadual nº 4.371, de 15 de dezembro de 1971, que proclamou a Virgem de Nazaré, Padroeira do Pará, Rainha da Amazônia e merecedora dessa grande homenagem. rom-04-2Criada em 8 de outubro de 1986, a primeira Romaria Fluvial foi acompanhada por cerca de 30 barcos e marcada por imensa emoção, no momento em que uma grande auréola luminosa surgiu no céu contornando o sol. O fenômeno foi considerado um sinal de benção e aprovação da Virgem de Nazaré àquela manifestação de fé dos devotos. Para a romaria nas águas da baía do Guajará, foi confeccionada mais uma réplica da berlinda, usada até 2002. No ano seguinte, ela foi substituída por uma cúpula de vidro que é usada até hoje. A cúpula permite maior visibilidade da imagem pelos ribeirinhos e fiéis que a acompanham. Atualmente, mais de mil embarcações, entre barcos, lanchas, balsas e veleiros participam do "Círio das Águas".

Romarias

Moto-romaria

Após a chegada da Romaria Fluvial na Escadinha do Cais do Porto, em Belém, os romeiros se integram aos motociclistas que aguardam a imagem para conduzi-la na Motoromaria, que surgiu no Círio de 1990. A iniciativa foi da Federação Paraense de Motociclismo, que decidiu também prestar a sua homenagem, acompanhando a imagem de Nossa Senhora de Nazaré até o Colégio Gentil Bittencourt. No percurso, centenas de motociclistas, ciclistas e outros veículos fazem a escolta da imagem até o colégio. Ao longo do trajeto, que compreende as avenidas Presidente Vargas a Nazaré, muitas homenagens são feitas à Rainha da Amazônia.

Romarias

Trasladação

A Trasladação é realizada na noite do sábado que antecede o Círio de Nazaré. Depois de uma missa às 17h, no Colégio Gentil Bittencourt, os fiéis se dirigem em procissão à Igreja da Sé, fazendo o mesmo trajeto da procissão do domingo, mas no sentido inverso. Diferente do que ocorre no Círio, onde vários carros de promessas e pelotões acompanham a procissão, na Trasladação há apenas a berlinda em destaque. O fato de a procissão acontecer à noite torna o momento ainda mais bonito, pois, além de a cidade toda se enfeitar e se iluminar para saudar a Virgem de Nazaré, é possível constatar que a Trasladação é uma verdadeira procissão à luz de velas levadas pelos devotos durante todo o percurso. Um dos momentos mais emocionantes da procissão ocorre durante a homenagem dos estivadores e arrumadores, que soltam fogos de artifício em honra à Virgem de Nazaré, num verdadeiro espetáculo de cores e luzes. A cada ano, o número de fiéis que acompanham a Trasladação é maior. Nos últimos anos, a corda atrelada à berlinda tem sido tão disputada quanto na grande procissão de domingo

Romarias

Círio

O termo Círio vem da palavra latina "cereus", que significa vela ou tocha grande. Por ser a principal oferta dos fiéis nas procissões em Portugal, com o tempo passou a ser sinônimo da procissão de Nazaré aqui Belém e de muitas outras pelas cidades do interior do Pará. O domingo do Círio começa com a celebração de uma missa em frente à Catedral Metropolitana de Belém, a Sé, às 5h30. Ao término da missa, às 6h30, é iniciada a procissão que percorre as ruas de Belém até a Praça Santuário de Nazaré, em um percurso de 3,6 quilômetros. Em 2004, o trajeto foi cumprido em 9 horas e 15 minutos, sendo registrado como o Círio mais longo de toda a história. Por sua grandiosidade, o Círio de Belém foi registrado, em setembro de 2004, pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), como patrimônio cultural de natureza imaterial. Mérito conquistado não só pela Imagem de Nossa Senhora de Nazaré, mas também pelo simbolismo da corda do Círio, que todos os anos é disputada pelos promesseiros que enchem as ruas de Belém de fé e emoção; dos carros de promessas, que carregam as graças atendidas pela Virgem; dos mantos de Nossa Senhora, que a deixam ainda mais linda; da Berlinda, que se destaca na multidão carregando a pequena Imagem tão adorada; e do hino "Vós sois o Lírio Mimoso", canção que embala os milhares de corações que acompanham o Círio em uma só voz. Após a grande procissão, a imagem da Virgem fica exposta no altar da Praça Santuário para visita dos fiéis durante 15 dias, período chamado de quadra nazarena.

Romarias

Cicloromaria

A Cicloromaria é a procissão mais nova de todas, surgiu em 2004, após pedido da Federação dos Ciclistas do Pará e Associação dos Ciclistas de Icoaraci. Acontece sempre no sábado posterior à Festa do Círio, às 8 horas da manhã. Todos os anos, o trajeto a ser percorrido é diferente, sendo definido dois meses antes do Círio.

Romarias

Romaria da juventude

A Romaria da Juventude surgiu em 2001. Ela é, geralmente, realizada na tarde do sábado posterior ao Círio. Essa é a vez dos jovens homenagearem a Virgem de Nazaré. A procissão é animada por um Trio Elétrico. Este é o momento em que várias comunidades jovens se encontram, fazendo da Romaria da Juventude uma das mais animadas. A organização desta procissão é feita pela Basílica Santuário de Nazaré e Catequeses das Paróquias. A Romaria da Juventude é considerada uma forma de integrar todas as paróquias em torno da realização da festa.

Romarias

Romaria das crianças

No primeiro domingo após o Círio de Nazaré, é a vez das crianças irem às ruas prestar suas homenagens a Nossa Senhora. A Romaria, criada com o objetivo de construir e fortalecer a devoção mariana entre os pequenos, começa às 8 horas da manhã, saindo da Praça Santuário e percorrendo várias ruas do bairro de Nazaré, em Belém. O primeiro Círio das Crianças foi realizado em 1990. A procissão já é considerada a terceira maior das 11 procissões que são realizadas durante a Festa Nazarena. Além da Berlinda que conduz a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, durante a Romaria das Crianças há ainda o carro dos milagres e os carros dos anjos.

Romarias

Procissão da festa

A Procissão da Festa é a terceira romaria mais antiga, depois do Círio e da Trasladação. O primeiro registro dessa procissão é do ano de 1881. A procissão é acompanhada pela Diretoria da Festa de Nazaré e as comunidades que fazem parte da Basílica Santuário. É a romaria realizada na manhã do segundo domingo após o Círio, saindo às 8 horas da Praça Santuário, depois da celebração de uma missa. A Procissão da Festa é organizada pelas próprias comunidades ligadas à Basílica e percorre as ruas do Bairro de Nazaré, num trajeto de 2,8 km. Todo ano, uma das comunidades é prestigiada pela procissão. O percurso é definido pelo pároco da Basílica e de acordo com a localidade da comunidade contemplada.

Romarias

Recírio

O Recírio é o momento que encerra toda a Festividade Nazarena. É quando os paraenses se despedem da Rainha da Amazônia. A procissão do Recírio acontece 15 dias após a grande procissão de domingo, numa segunda-feira. A procissão começa após uma missa campal, realizada na Praça Santuário às 6h. Às 07h, a imagem da Virgem de Nazaré é conduzida num percurso de 250 metros, em direção à Capela do Colégio Gentil Bittencourt. Durante o trajeto, a procissão faz o contorno na Praça Santuário, segue pelas avenidas Generalíssimo Deodoro, Nazaré e Magalhães Barata até chegar ao Colégio Gentil. Enquanto passa, a imagem de Nossa Senhora de Nazaré é saudada e aclamada pelos paraenses que acompanham a caminhada ou a assistem pelas janelas de suas casas. A despedida é sempre emocionante. Entre muitas orações e canções, os fiéis prestam suas últimas homenagens à Santinha. Em grande estilo, o Recírio encerra o Círio de Nazaré marcado por muita fé, fogos de artifício e pela espera da Festa no próximo ano.

Mapas

Romaria fluvial

Mapas

Moto-romaria

Mapas

Trasladação

Mapas

Círio

Celebrações

Descida da Imagem

No sábado, logo após a chegada da Moto-romaria, acontece uma das cerimônias mais esperadas da quadra nazarena: é quando a imagem original de Nossa Senhora de Nazaré, encontrada por Plácido de Souza em 1700, desce do Glória sobre altar-mor da Basílica Santuário, para ficar mais próxima dos fiéis. Todos os anos, ver de perto a pequena imagem de 28 centímetros, emociona os milhares de peregrinos que chegam de todos os cantos para prestar homenagens à Rainha da Amazônia. A imagem, que fica recolhida no Glória durante todo o ano, é então colocada em um nicho no presbitério, no dia anterior à procissão do Círio. Isto acontece sempre ao meio dia, depois que a motoromaria chega ao colégio Gentil Bittencourt. Esse ritual acontece desde 1969 e as primeiras vezes ocorriam de forma simples e a portas fechadas, sempre às 23h da véspera do Círio. Só a partir de 1992 é que os romeiros puderam acompanhar a descida da imagem com emocionante cerimônia embalada por cânticos e orações.

Celebrações

Encerramento da Festa

Essa celebração começou a ser realizada em 1982, com a inauguração da Praça Santuário, em frente à Basílica de Nazaré. A missa é celebrada no quarto domingo de outubro, às 20h, no Altar Monumento da Praça Santuário. Logo após a missa, na Barraca da Santa, é realizada a solenidade de encerramento da festividade, quando os Diretores da Festa recebem diplomas e medalhas em cerimônia simples. O encerramento da Festa também é marcado por show pirotécnico de fogos de artifícios.

Subida da Imagem

Encerramento da Festa

Transcorridos 16 dias junto aos romeiros, é hora da imagem original de Nossa Senhora de Nazaré retornar ao Glória, sobre o altar-mor da Basílica Santuário. A cerimônia acontece pouco antes da Missa do Recírio, às 6h da segunda-feira. Os milhares de fiéis vêem o arcebispo de Belém caminhar até o nicho, retirar a pequena imagem e erguê-la para os abençoar. Ela é reconduzida então à sua redoma de cristal, lá permanecendo entre os anjos esculpidos que lhe fazem companhia até o próximo Círio.

Subida da Imagem

Incineração das súplicas

É o momento em que todos os pedidos dedicados a Nossa Senhora de Nazaré são recolhidos e queimados durante a celebração da missa do Recírio, que ocorre na Praça Santuário. A Incineração das Súplicas começou em 1994, com uma oração simples, que era realizada na lateral da Basílica, em frente à Sala dos Milagres.