Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
29°
cotação atual R$
Viral

Neurocientista dedica sua vida para fazer cócegas em ratos

sexta-feira, 13/04/2018, 21:04 - Atualizado em 13/04/2018, 21:04 - Autor:


Shimpei Ishiyama é um neurocientista que possui um trabalho talvez desconhecido da maioria: ele passa o dia no laboratório campus da Universidade Humboldt, em Berlim, fazendo cócegas em ratos.


Pode parecer estranho, mas o motivo é absolutamente científico. O riso dos roedores fornece ao pesquisador informações sobre as emoções positivas no cérebro. Todo um mecanismo com a mais alta tecnologia está preparado para observar os ratos.


"As emoções positivas são menosprezadas na neurociência porque os cientistas são obcecados por coisas negativas", explica Ishiyama.


Para o grupo de cientistas do qual Ishiyama faz parte, a prioridade é o estudo das emoções positivas, e não apenas para desvendar como agem em nosso organismo. Segundo o cientista, esse também pode ser o caminho para entender emoções como a tristeza e a depressão.


"Os cientistas trabalham muito em relação ao mau humor associado à depressão, mas não sabem tanto sobre os mecanismos cerebrais da felicidade ou do riso, que faltam na depressão. Estudar os mecanismos cerebrais das emoções positivas pode eventualmente nos ajudar a entender como elas são suprimidas, ou como obter a felicidade na depressão", argumenta o neurocientista.


O neurocientista dedica cerca de sete horas do seu trabalho fazendo cócegas nos animais, para em seguida avalia-los empiricamente. Para ele, a maneira como a cócega age no cérebro é um mistério, e nenhuma é igual a outra.


(Fonte: BBC)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS