Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$

Tuédoidé? / Curiosidades

Curiosidades

Assobio 'fiu-fiu' pode estar com os dias contados; entenda

terça-feira, 14/08/2018, 11:08 - Atualizado em 14/08/2018, 11:27 - Autor:


Por ser hoje considerado o som mais ofensivo do planeta, o assobio “fiu-fiu” pode estar prestes a ser aposentado. As informações são da BBC.


A adoção de uma lei que multará em 90 euros (R$360) quem for flagrado fazendo “fiu-fiu” na rua já está sendo debatida na França. A medida seria como parte dos esforços para combater o assédio sexual.


Um político britânico pede, da mesma forma, que a prática seja reprimida e combatida no Reino Unido.


Basta escrever no Twitter “fiu-fiu” ou “assobio” para se deparar com uma série de reclamações de mulheres que destacam a intimidação e o medo gerado por esse tipo de atitude.








Diversão inocente?


Logo após a guerra, você podia comprar o The Original Hollywood Wolf Whistle, um dispositivo que se conectava ao carro e fazia "fiu-fiu" para quem passava na rua.


No entanto, em 28 de agosto de 1955, Emmett Till, um afro-americano de 14 anos, foi linchado no Mississippi alguns dias após supostamente ter feito "fiu-fiu" para uma mulher branca em uma mercearia.


O garoto além de sequestrado, espancado até ficar desfigurado e baleado, teve seu corpo jogado em um rio, com uma lâmina de ventilador amarrada em volta do pescoço com arame farpado para puxá-lo ao fundo.


A mãe do jovem insistiu em deixar o caixão aberto no velório, para que o mundo pudesse ver o que havia acontecido. 


Quem foi criado nos anos 1950 ou 1960, quando o "fiu-fiu" era considerado uma diversão inocente, pode se esforçar para ver de outra forma. Mas se você cresceu enxergando o assobio como assédio, é difícil não encará-lo como tal.


Para Sheila Harrod, de 74 anos, ex-campeã mundial de assobios, se não fosse pelo "fiu-fiu", jamais teria viajado o mundo assobiando. "Você não ouve mais porque as pessoas têm medo de serem acusadas de assédio sexual", avalia. 


(Com informações da BBC)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS