Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
33°
cotação atual R$
FRAUDE

Homem guarda o corpo da mãe no freezer para continuar a receber pensão

sexta-feira, 31/07/2020, 15:52 - Atualizado em 31/07/2020, 15:52 - Autor: Com informações de Mirror


| Reprodução

Um homem foi condenado a dez meses de prisão após manter o cadáver da própria mãe congelado em um freezer por seis meses. Ele confessou que fez isso para continuar a receber a pensão da idosa.

Identificado como Wu, o filho escondeu o corpo da mãe morta no freezer desde a morte dela, em 4 de abril do ano passado.

O caso só foi descoberto depois que trabalhadores comunitários ficaram preocupados e decidiram procurar a mulher de 68 anos.

A polícia foi acionada e obteve acesso à propriedade do acusado, na Procuradoria Distrital de Baoshan, leste da China. Lá, encontraram o corpo congelado.

Wu foi multado em 10.000 RMB (cerca de 7,5 mil reais), decidiu o Tribunal Popular de Baoshan, em Xangai.

Jiang Xiaoyan, promotor da Procuradoria Distrital de Baoshan, disse que Wu, 44 anos, estava desempregado e dependia muito de sua mãe, Fu.

Jiang disse ao tribunal: “O acusado vive por muito tempo sem uma renda estável. Ele considerou sua situação financeira antes de cometer o crime”.

Na audiência de junho, Wu disse que comprou o freezer on-line para impedir o apodrecimento do cadáver de sua própria mãe, pois o cheiro poderia alertar os vizinhos.

Entre maio e outubro, Wu ficou recebendo a pensão mensal de seus pais no valor de cerca de 3 mil reais.

Segundo o promotor, Fu ficou doente e morreu de causas naturais. Ele também disse que o filho era “mimado” e não sabia se cuidar.

Wu disse ao tribunal que havia sido demitido de uma usina siderúrgica em 2016 e viveu com sua mãe desde então.

Ele pediu aos juízes uma "segunda chance", dizendo: "Prometo ser um novo homem. E quero dar à minha mãe um enterro adequado”.

Wu não deve recorrer do veredicto depois de admitir que fraudou o Estado.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS