Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$
CRUELDADE

"Fábrica de filhotes" cortava cordas vocais de cães para eles não latirem

quinta-feira, 23/01/2020, 17:15 - Atualizado em 23/01/2020, 17:30 - Autor: Redação


Os animais vivam em um local sujo e insalubre
Os animais vivam em um local sujo e insalubre | Reprodução/Polícia Nacional da Espanha

Centenas de cães que viviam enjaulados tiveram suas cordas vocais cortadas para que não pudessem mais latir. Eles pertenciam a um grupo de pessoas que criava cachorros de raça ilegalmente para vender os filhotes. A operação policial aconteceu em dois imóveis em Madri, na Espanha.

As informações são do jornal The Sun.

A polícia recuperou 270 chiuahuas e lulus-da-pomerânia e prendeu cinco pessoas, incluindo dois veterinários, acusados de serem membros de uma quadrilha de tráfico de cães que opera na Europa. Acredita-se que os criminosos tenham lucrado mais de 2 milhões de dólares, equivalente a 9 milhões de reais. Os cães eram vendidos entre R$ 6 mil e R$ 13 mil cada.

Muitos dos cães encontrados nas duas bases de reprodução tiveram suas cordas vocais cortadas em uma tentativa repugnante de impedi-los de latir, de acordo com os relatos locais.

O líder da gangue foi identificado como Adolfo, de 56 anos, e sua própria esposa, não identificada, também foi detida.

 Dois filhotes mortos foram encontrados embrulhados em jornais durante os ataques

Imagens chocantes divulgadas pela polícia mostram os animais vivendo em gaiolas apertadas, em um porão de uma casa. O local também estava sujo e insalubre. Dois filhotes foram encontrados mortos enrolados em jornais.

Os animais confiscados estão sendo tratados por grupos locais de proteção animal.

Enquanto isso, os suspeitos foram libertados sob fiança enquanto a investigação continua.

A mídia local disse que Adolfo registrou mais de 1.400 cães na Royal Canine Society of Spain desde 1990.

A investigação está em andamento, pois acredita-se que o grupo possa estar operando outros centros ilegais de reprodução na Espanha.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS