Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$

Notícias / Veículos

Veículos

Longa Duração: motor do Mobi perde desempenho repentinamente

segunda-feira, 24/04/2017, 14:50 - Atualizado em 24/04/2017, 14:50 - Autor:


Luz de alerta: do nada, ela acendeu. Do nada, apagou

Luz de alerta: do nada, ela acendeu. Do nada, apagou (Silvio Gioia/Quatro Rodas)

Quem tem um Fiat equipado com motor Fire 1.0 sabe: não raramente, ele falha nas saídas. Basta dar uma vasculhada na internet: de tão recorrente que é, o acendimento da luz de injeção em função do mau funcionamento do corpo de borboleta tem até uma porção de vídeos no YouTube.

A gente tem bagagem para falar sobre este tema, afinal tivemos um Uno 1.0 no Longa Duração entre 2010 e 2011. E ele, que tinha basicamente o mesmo motor do Mobi, também deu suas engasgadas ao longo do teste.

“Estava dirigindo normalmente quando, de repente, a luz de injeção acendeu no painel. Senti uma perda de potência imediata, como se uma cartografia de segurança da injeção eletrônica tivesse sido ativada para preservar o motor”, explica a repórter Isadora Carvalho, que estava ao volante do Mobi no momento da falha.

Como o caso ocorreu no domingo e o carro estava rodando, combinamos de procurar uma concessionária no dia seguinte, mas…

“Quando liguei o motor, ainda no domingo, para voltar para casa, tudo havia voltado ao normal. Apesar de a luz ter apagado e o motor ter voltado a trabalhar regularmente, o episódio foi suficiente para abalar a confiança no carro, ainda mais porque estava com a minha filha de 2 anos a bordo”, comenta Isadora.

Na segunda-feira, demos início às investigações. Na Fukuda Motorcenter, o Mobi foi analisado pelo consultor técnico da QUATRO RODAS, Fabio Fukuda. “Com o scanner, fiz uma varredura na central eletrônica. Havia, de fato, um registro de erro guardado na memória, mas não havia irregularidade no momento da análise”, diz Fukuda.

O passo seguinte foi visitar uma concessionária Fiat. Escolhemos a Sinal, em São Paulo. Nela, ouvimos um diagnóstico parecido: “Alguns problemas eletrônicos, de fato, desaparecem, pois a central tem capacidade de estabelecer um procedimento de autocorreção. Mas se acontecer de novo e for possível, o ideal é buscar uma autorizada ainda com o defeito ativo”.

Felizmente, até o fechamento desta edição, a luz permaneceu apagada.

Encerrando o assunto abordado no mês passado, quando relatamos a fragilidade de diversas peças plásticas de acabamento, este mês fomos às compras. A lista de itens a substituir era extensa: tampa do painel, capa dos passantes superiores dos cintos e tampão do porta-malas e respectivo suporte lateral. Na autorizada Impéria, de Limeira (SP), encomendamos as peças, por R$ 317. A mão de obra não será cobrada.

Fiat Mobi – 47.808 km

Consumo

  • No mês: 9,7 km/l com 22,7% de rodagem na cidade
  • Desde jul/16: 10 km/l com 22,6% de rodagem na cidade
  • Combustível: etanol

Gastos no mês

  • Combustível: R$ 1.852
  • Acabamento: R$ 317

Ficha técnica

  • Versão: Like On 1.0 Flex
  • Motor: 4 cilindros, dianteiro, transv,. 999 cm³, 8 V, flex, 75/73 cv a 6.250 rpm, 9,9/9,5 mkgf a 3.850 rpm
  • Câmbio: manual, 5 marchas

Arquivado em:Testes Tagged: Longa Duração, longa duração - fiat mobi, subcompactos

Fonte: Quatro Rodas Abril

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS