Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
29°
cotação atual R$

Notícias / Veículos

Veículos

Audi Q3 1.4 TFSI Ambition: o líder ficou mais flexível

sexta-feira, 14/04/2017, 15:50 - Atualizado em 14/04/2017, 15:50 - Autor:


Q3 ganhou este visual reestilizado em 2015

Q3 ganhou este visual reestilizado em 2015 (João Mantovani/Quatro Rodas)

Ter motor flex pode não ser fator determinante na venda de um SUV de luxo. O Audi Q3 é líder do segmento e as estatísticas mostram que ele mantém a posição mesmo após seus rivais Mercedes GLA e BMW X1 se tornarem flex, em meados de 2016.

Oferecer um motor flex, porém, atende às necessidades dos consumidores, com raras exceções, e ainda conta pontos no programa de eficiência energética do governo. Por isso, o Q3 está chegando às lojas, este mês, equipado com motor flex.

A novidade atinge apenas a opção 1.4 TFSI – a 2.0 TFSI continua só na gasolina. Mas já representa um avanço, e o melhor: as mudanças não acarretaram aumento de preços. O Q3 1.4 TFSI chega nas três versões de acabamento: Attraction (R$ 143.190), Ambiente (R$ 154.190) e Ambition mostrada aqui (R$ 170.190).

Tecnologia flex chega apenas na versão 1.4

Tecnologia flex chega apenas na versão 1.4 (João Mantovani/Quatro Rodas)

Para rodar com gasolina, etanol ou misturas em qualquer proporção, as peças que entram em contato com o combustível (como bomba de alimentação, filtros, galerias, bicos injetores) receberam novo tratamento superficial para aumentar sua resistência à corrosão.

Além disso, o mapeamento eletrônico foi refeito de modo a contemplar as novas condições de uso (o sistema precisa ajustar parâmetros como ponto de ignição e tempo de injeção nas mais variadas situações).

Ajuda o fato de o motor possuir um sensor para reconhecer o combustível antes da queima e não somente depois, a partir dos gases de escapamento, como é o comum (pela sonda lâmbda). Dessa forma, é possível garantir uma queima mais eficiente, o que resulta em melhor rendimento e menores emissões.

O motor 1.4 TFSI gera 150 cv de potência, com etanol ou com gasolina

O motor 1.4 TFSI gera 150 cv e 25,5 mkgf, com etanol ou com gasolina (João Mantovani/Quatro Rodas)

Comparando a ficha técnica do Q3 flex com a de seu antecessor, é possível notar que os ajustes possibilitaram gerar os mesmos volumes de força para os dois combustíveis e manter o torque em seu patamar mais elevado por mais tempo. O torque de 25,5 mkgf não mudou, mas o regime em que se apresenta, que era entre 1.500 e 3.500 rpm, agora vai até 4.000 rpm. E a potência máxima permaneceu em 150 cv entre 5.000 e 6.000 rpm.

Levamos o SUV para a pista e verificamos que seu rendimento não mudou. Em todas as medições (com gasolina), o Q3 Flex ficou empatado com o Q3 a gasolina. No 0 a 100 km/l, ambos cravaram o tempo de 9,5 segundos. As retomadas de 60 a 100 km/h, ficaram em 5,5 segundos (ante 5,7 segundos do modelo anterior). E o consumo foi de 10,2 km/l na cidade e 13,9 km/l na estrada (frente a 10,7 e 13,1 km/l).

Como, além do motor, não houve mudanças nos demais sistemas – transmissão S-tronic, pneus, , peso -, esse resultado não surpreende.

Q3 flex chega em três versões de acabamento

Versão Ambition traz teto solar e abertura elétrica do porta-malas (João Mantovani/Quatro Rodas)

O rodar permanece sólido mas confortável, com direção leve e boa aptidão para enfrentar nossos buracos. Ao contrário do sedã A3, o Q3 não passou por simplificações em sua nacionalização: a suspensão traseira multilink e o câmbio automatizado S-tronic foram mantidos.

Com preços inferiores ao BMW X1 (que parte de R$ 166.950) e Mercedes-Benz GLA (a partir de R$ 168.900), o Q3 é o mais antigo dos SUVs compactos premium do mercado. Estreou em 2012, enquanto o GLA é de 2014 e o X1 chegou à segunda geração em 2015. Mas o Audi passou por reestilização em 2015 e ganhou o motor flex agora, duas ações para lhe dar um fôlego a mais até a chegada de sua nova geração, prevista para 2018.

Veredicto

Sem aumento de preços e com o mesmo rendimento de seu antecessor, a gasolina, o Q3 flex ficou melhor por se tornar mais versátil na hora de abastecer.

Teste de pista (com gasolina)

  • Aceleração de 0 a 100 km/h: 9,5 s
  • Aceleração de 0 a 1.000 m: 31,1 s – 166,3 km/h
  • Retomada de 40 a 80 km/h (em D): 4,4 s
  • Retomada de 60 a 100 km/h (em D): 5,5 s
  • Retomada de 80 a 120 km/h (em D): 7 s
  • Frenagens de 60 / 80 / 120 km/h a 0: 16,2 / 27,6 / 64,3 m
  • Consumo urbano: 10,2 km/l
  • Consumo rodoviário: 13,9 km/l

Ficha técnica – Audi Q3 1.4 TFSI Ambition Flex

  • Preço: R$ 170.190
  • Motor: flex, diant., transv., 4 cil., 16V, turbo, 1.395 cm3, 150 cv entre 5.000 e 6.000 rpm, 25,5 mkgf entre 1.500 e 4.000 rpm
    Câmbio: automatizado, 6 marchas, tração dianteira
  • Suspensão: McPherson(diant.) / multilink (tras.)
  • Freios: discos ventilados
  • Direção: elétrica
  • Rodas e pneus: 235/55 R17
  • Dimensões: comp., 438,8 cm; largura, 183,1 cm; altura, 159 cm; entre-eixos, 260,3 cm; peso, 1.405 kg; tanque, 64 l; porta-malas, 460 l

Arquivado em:Testes Tagged: suvs compactos de luxo, SUVs de luxo, teste

Fonte: Quatro Rodas Abril

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS