Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
23°
cotação atual R$

Notícias / Veículos

Veículos

Revisão nos pneus é essencial antes de viajar

sexta-feira, 24/06/2016, 13:32 - Atualizado em 24/06/2016, 13:32 - Autor:


Conferir a pressão, calibrar e realizar o rodízio periódico dos pneus garante maior segurança e menor consumo de combustível


Para aproveitar com tranqüilidade as férias de julho, programe a revisão de um grupo básico de itens do veículo, entre eles filtros, óleo do motor, água do radiador, freios, suspensão, bateria, faróis e palhetas do limpador do parabrisa. E não se esqueça dos pneus, que são o elo entre o veículo e o solo. Muito da estabilidade e segurança do veículo vem deles.


Os pneus são fundamentais para o aproveitamento total das características de vários sistemas do veículo: suspensão, transmissão, tração, direção e frenagem. Eles exercem influência direta em praticamente todo o comportamento dinâmico de um carro. A calibragem correta é essencial tanto para a boa condição de rodagem como para o menor desgaste, a boa dirigibilidade e o menor consumo de combustível. Enfim, pneus em boas condições favorecem a segurança do motorista e dos passageiros.


 


Segurança
Conferir a pressão dos pneus semanalmente é uma recomendação. Andar com os pneus com sua pressão abaixo da especificada compromete o desempenho, causa desgaste prematuro ou deformação de seus componentes, além de comprometer a segurança.


Pesquisa realizada pela Bridgestone, maior fabricante mundial de pneus,  apontou que 1 em cada 5 motoristas dos principais países latino-americanos dirige habitualmente com baixa pressão em pelo menos um dos pneus de seu carro. A pesquisa também detectou que 1 em cada 7 motoristas dirige em situação de risco, por deixar os pneus com pressão abaixo do limite mínimo de segurança: 9 psi (libras). Como resultado, os motoristas desperdiçam anualmente mais de 100 milhões de litros de combustível.


A baixa pressão de inflação dos pneus pode acarretar vários danos ao veículo, entre eles perda de aderência, risco de detalonamento (quando o pneu “desencaixa” da roda), deterioração da estrutura interna devido ao aquecimento extremo durante a rodagem, instabilidade, maior esforço do motor e aumento do consumo. Além disso, o limite de desgaste permitido por lei é de 1,6 milímetro de profundidade do sulco do pneu. Ao atingir esse patamar, a velocidade para que o carro perca a aderência sobre superfícies molhadas (aquaplanagem) é reduzida em 40%, aumentando a possibilidade de um acidente.


Também é preciso seguir a calibragem dos pneus indicada no manual do veículo, que em alguns casos também é encontrada no lado de dentro da tampa do bocal de combustível ou noutros pontos internos da carroceria. Outra medida simples é fazer o rodízio de pneus (inversão das posições entre os dianteiros e os traseiros), que equaliza o desgaste e garante uma vida longa e uniforme a eles. O ideal é fazer o rodízio a cada 8 mil quilômetros para pneus radiais e a cada 5 mil km para os diagonais.


Outra dica importante é que, ao adquirir um par de pneus novos, instale-os no eixo traseiro. Muitos pensam que os pneus mais novos devem ser colocados na frente, mas é justamente o contrário, porque o risco de um acidente pela falta de aderência no eixo traseiro é sempre maior, visto que o veículo tende a perder a estabilidade – condição muito mais difícil para o controle da direção do que quando o pneu perde a aderência nos pneus dianteiros, que causa apenas a perda momentânea da dirigibilidade. (De Victor Pinto – Editor de Veículos dos cadernos Auto Destaque e Auto Serviço do jornal Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS