Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$

Notícias / Veículos

Veículos

Revisão para o feriado deve começar pelos pneus

segunda-feira, 07/12/2015, 15:46 - Atualizado em 07/12/2015, 16:08 - Autor:


O Tudo Aqui Tem reforça a recomendação aos motoristas para que façam o check-up do carro antes de seguir viagem neste feriado, a fim de garantir um descanso tranquilo em família e o retorno para casa em segurança. A revisão ideal para pegar a estrada inclui a checagem de itens como filtros e óleo do motor, água do radiador, sistemas de freio e de suspensão, bateria, faróis e palhetas do limpador do pára-brisa, além dos pneus.


Os pneus são o elo entre o veículo e o solo. Muito da estabilidade e da segurança do veículo vem deles, pois são são fundamentais para o aproveitamento total das características de vários sistemas do veículo: suspensão, transmissão, tração, direção e frenagem. Eles exercem influência direta em praticamente todo o comportamento dinâmico de um carro. A calibragem correta é item essencial tanto para a boa condição de rodagem, como para o menor desgaste, boa dirigibilidade e menor consumo.
O ar interno é um dos componentes do próprio pneu. Sem ele, ou com seu volume abaixo do indicado, o pneu não tem como atender às exigências de desempenho previstas em seu projeto, comprometendo o comportamento e a segurança do veículo. Por isso recomenda-se a checagem semanal da pressão, a fim de evitar o desgaste prematuro ou a deformação desses componentes. A baixa pressão pode acarretar perda de aderência, risco de detalonamento (quando o pneu "desencaixa" do aro da roda), deterioração da estrutura interna (devido ao aquecimento extremo durante a rodagem), instabilidade, maior esforço do motor e aumento do consumo de combustível. Além disso, o limite de desgaste permitido por lei é de 1,6 milímetro de profundidade do sulco do pneu. Abaixo disso, a velocidade para que o carro perca a aderência sobre superfícies molhadas (aquaplanagem) é reduzida em 40%, aumentando a possibilidade de acidentes.
Outra medida simples é fazer periodicamente o rodízio de pneus, inversão das posições entre os dianteiros e os traseiros, para equalizar o desgaste e garantir uma vida longa e uniforme a eles. O rodízio pode ser feito a cada 8 mil km para pneus radiais e a cada 5 mil km para os diagonais.
No caso do motorista que compra pneus novos, a recomendação é que eles sejam instalados no eixo traseiroi. Muitos pensam que os pneus mais novos devem ser colocados na frente, mas é justamente o contrário, porque o risco de um acidente pela falta de aderência no eixo traseiro é sempre maior, visto que o veículo tende a perder a estabilidade - condição muito mais difícil para o controle da direção do que quando o pneu perde a aderência nos pneus dianteiros, que causa apenas a perda momentânea da dirigibilidade.

10 mandamentos para o uso inteligente do pneu:
1. Calibrar os pneus semanalmente, conforme a indicação do manual do fabricante do veículo;

2. Fazer o rodízio de pneus. Veículos com pneus radiais a cada 8.000 km rodados e veículos com pneus diagonais a cada 5.000 km rodados;

3. Evitar sobrecarga no veículo. Excesso de peso compromete a estrutura do pneu e aumenta o risco de danos ou de alterações estruturais;

4. Fazer a manutenção preventiva do veículo: amortecedores, molas, freios, rolamentos, eixos e rodas atuam diretamente sobre os pneus;

5. Usar as medidas de pneus e rodas indicadas pelo fabricante do veículo. A utilização de pneus e rodas diferentes altera o equilíbrio;

6. Alinhar a suspensão e balancear os pneus sempre que o veículo sofrer impactos fortes, na troca de pneus, quando os pneus apresentarem desgastes irregulares, ao serem substituídos componentes da suspensão, quando o veículo estiver "puxando" para um lado ou a cada 10.000 km;

7. Usar o pneu indicado para cada tipo de solo. Rodar na cidade com pneu off-road provoca perdas no consumo, na estabilidade e na durabilidade;

8. Observar o indicador de desgaste da rodagem, que mostra a hora certa para se efetuar a troca, reduzindo o risco de rodar com o pneu careca. O limite de profundidade do sulco do pneu é de 1,6 milímetro;

9. Não permitir o contato do pneu com derivados de petróleo ou solventes, que atacam a borracha e fazem com que ela perca suas propriedades físico-químicas e mecânicas;

10. Evitar a direção agressiva, com freadas fortes e mudanças bruscas de direção. Nunca ignore a existência de lombadas, buracos e imperfeições de piso. Os melhores pilotos de competição são aqueles que, mesmo rápidos, sabem poupar seus carros e pneus.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS