Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$

Notícias / Veículos

Veículos

As maiores dúvidas das mulheres ao volante

segunda-feira, 28/09/2015, 12:36 - Atualizado em 28/09/2015, 12:36 - Autor:


O poder aquisitivo das mulheres vem crescendo cada vez mais no Brasil e esses reflexos são notados no mercado automotivo. Hoje, mais de 40% dos carros vendidos no país são adquiridos por mulheres, mas este percentual quase dobra quando se vê o quanto a opinião dela é importante para o homem na compra de um veículo.


Elas também são mais cuidadosas ao volante, cumprem as revisões nos prazos exatos e dificilmente deixam de fazê-las numa concessionária autorizada. E possuem dúvidas, como qualquer uma.


Um item que a mulher se preocupa bastante é a troca do óleo lubrificante. Cada automóvel tem um período de troca e o lubrificante adequado para o funcionamento correto. A marca determina no manual quando deve ser feita a troca, qual o lubrificante e quantos litros usar. Mas quem roda muito e passa por engarrafamentos todos os dias deve antecipar a reposição.


Além disso, o nível do óleo baixa naturalmente e precisa ser reposto, mesmo que o prazo para troca ainda não tenha chegado. A cada mil km rodados, é normal o óleo baixar entre meio e 1 litro, devido à evaporação. As montadoras, inclusive, indicam a reposição do nível.


Outra dúvida entre as mulheres é se a troca de óleo deve ser feita mesmo não atingindo a quantidade de quilômetros indicada no manual. Depois de 6 meses, o óleo pode estar oxidado e prejudicar o funcionamento do carro. Uma orientação: fique sempre atenta às luzes do painel. Se a luz do óleo acender, o motor pode estar prestes a fundir, seja por falta de lubrificante, por entupimento ou por problema na bomba.


Há ainda vários itens que precisam de atenção, como filtros de ar, pastilhas de freio, rolamentos e pneus. A dica é estar alerta aos sinais do carro, como ruídos estranhos, direção puxando, volante trepidando, falta de tração ou força nas subidas e sinalização do painel. Se esses detalhes forem vistos rapidamente, a chance de resolver o problema ainda no início é bem maior. Do contrário, ele pode se alastrar para outras partes e peças do carro.


Aqui vão outras dicas para revisão ou manutenção do automóvel:


1) Sempre leia o manual do veículo e siga as recomendações do fabricante. Assim você fica mais informada na hora de conversar com o consultor técnico e aprenderá a reconhecer defeitos que podem ser solucionados com pequeno esforço e baixo custo;


2) Se der, acompanhe o serviço na oficina e faça perguntas sobre o motivo para a quebra da peça. Veja se a explicação condiz com a realidade e só depois autorize a continuidade do trabalho;


3) Exija que as peças sejam substituídas por novas e leve as antigas. Diga que vai mostrar as peças a uma pessoa que conhece o assunto, como o marido ou um amigo, por exemplo;


4) Tome cuidado para não ser induzida a trocar alguma peça antes do tempo, como os freios (que devem ser trocados só quando apresentarem ruído ou se a espessura da pastilha estiver fina), as velas (que devem ser trocadas a cada 20 mil km), o filtro de ar (a cada 10 mil km ou quando o carro está consumindo muito combustível), o filtro de combustível (a cada 10 mil km) e o filtro de óleo (a cada duas trocas). Quanto à limpeza de bicos, fique atenta! Ela só deve ser realizada após 30 mil km rodados.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS