Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
23°
cotação atual R$
Mundo

Chuva de meteoros que se aproxima pode destruir o planeta

segunda-feira, 17/06/2019, 22:11 - Atualizado em 17/06/2019, 22:50 - Autor:


Uma chuva de meteoros que se aproxima da Terra está colocando em risco a existência de nosso planeta. É o que revelou um grupo de cientistas esta segunda-feira (17).


Trata-se do Enxame Beta Tauridas, que acontece anualmente entre 5 de junho e 18 de julho. Neste período irá passar pela Terra um amplo fluxo de destroços deixados pelo cometa Encke.


 


  


Os astrônomos acreditam que esta chuva de destroços possa conter grandes rochas espaciais e seja capaz de representar ameaça significativa à vida na Terra, como já aconteceu no passado.


Alguns cientistas pensam que uma destas rochas espaciais poderia ter sido a causa de um dos impactos mais destruidores nos últimos tempos.


Trata-se do assim chamado Evento de Tunguska – queda de um corpo celeste que aconteceu na região da Sibéria em 30 de junho de 1908. O impacto provocou uma grande explosão, devastando uma área maior do que a cidade de Londres, e derrubando 80 milhões de árvores. Na sequência do impacto, a onda de choque arremessou pessoas a 64 quilômetros.


Acredita-se que este tipo de acontecimento acontece uma vez a cada 1.000 anos, mas alguns cientistas não excluem que tais fenômenos demorem menos para acontecer.


A Terra irá se aproximar a uma distância de 30 milhões de quilômetros do centro da chuva de meteoros Beta Tauridas em 28 de junho, sendo este o encontro mais próximo desde 1975.


"Se o objeto de Tunguska [que caiu na Sibéria] tiver sido um membro do Enxame Beta Tauridas, então a última semana de junho de 2019 poderá ser a próxima ocasião com uma grande probabilidade de colisões parecidas com a de Tunguska", apontam cientistas em um artigo publicado recentemente.


Entretanto, pesquisadores da Universidade do Ontário Ocidental afirmam que a proximidade com que a chuva de meteoros passará pela Terra nos dá uma oportunidade única de investigar os potenciais riscos.


(Com informações do The Mirror)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS