Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis


30°
R$
Mundo

Consumo de álcool por vias anal e vaginal preocupa médicos

sexta-feira, 10/05/2019, 09:12 - Atualizado em 10/05/2019, 20:45 - Autor:


Recentemente, um jovem americano foi hospitalizado em coma alcoólico depois de introduzir uma grande quantidade de vinho por meio de um tubo inserido no reto. Além de consumir bebida via anal, vários jovens no mundo têm assustado pais e médicos com métodos nada adequados de se embriagar.


Nos Estados Unidos e Europa, vídeos viralizam na internet, onde mostram adolescentes pingando vodca nos olhos, método chamado por eles de "vodka eyeballing". Já em outros vídeos, meninas encharcam absorventes internos de álcool e os colocam na vagina, além de beberem álcool em gel.

De acordo com a Dra. Zila Van Der Meer Sanchez, pesquisadora do Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas Psicotrópicas (CEBRID), da Unifesp, alguns adolescentes chegam aos prontos-socorros bastante alcoolizados e que essa prática ainda é pequena no Brasil do que em outros países, apesar de alguns casos terem sido registrados.

Ainda de acordo com a especialista, os riscos para quem consome álcool desta maneira são exatamente os mesmos de métodos convencionais. O que conta é a quantidade de álcool ingerida, porque independente de onde for, o corpo vai absorver do mesmo jeito.

O clínico geral do Hospital das Clínicas, Dr. Arnaldo Lichtenstein, faz um alerta e revela que o consumo de álcool está cada vez maior entre os adolescentes. E ressalta ainda que, o grande problema é o uso abusivo do álcool, independente da via.


E além do comportamento extremamente invasivo ao corpo, o ânus, por exemplo, tem mais terminações nervosas e mucosas mais expostas, o que causa uma absorção mais rápida e além do estômago e intestino, o álcool é mais absorvido por outras mucosas do corpo, desde a boca até o ânus e a vagina. 

Arnaldo Lichtenstein destacou que atualmente a procura pelo prazer sexual vem em conjunto com estas práticas não muito comuns e acontecem há bastante tempo, mas o que mais preocupa é a quantidade exagerada de álcool que tem sido colocado em questão.


(Com informações do site Terra)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS