Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$

Notícias / Trânsito

TRÂNSITO COMPLICADO

Trânsito é liberado após protesto de caminhoneiros e motoristas de aplicativo contra aumento dos combustíveis

BR-316 chegou a ficar com uma via interditada.

segunda-feira, 22/02/2021, 13:22 - Atualizado em 22/02/2021, 15:47 - Autor: Diario Online


Na BR-316, pneus queimados são usados como barricadas
Na BR-316, pneus queimados são usados como barricadas | Reprodução

Uma manifestação nacional, iniciada na manhã desta segunda-feira (22), deixou o trânsito complicado em vias da Grande Belém, como a rodovia BR-316 e a avenida Almirante Barroso. Caminhoneiros e motoristas de aplicativos reclamavam do aumento de combustíveis, que somente em 2021 já teve oito aumentos seguidos no preço da gasolina, segundo a Associação dos Engenheiros da Petrobras (AEPET), o combustível acumula alta de 34%.

O aumento dos combustíveis é de responsabilidade da Petrobras, que flutua conforme o preço do dólar. As políticas do Governo Federal também podem influenciar na alta ou queda dos preços.

Na BR-316, caminhoneiros interditaram um trecho no município de Marituba, Região Metropolitana de Belém (RMB), montando uma barricada na pista. O protesto foi encerrado no começo da tarde e o trânsito na via foi liberado.

Um vídeo da rodovia BR-316, feito do sentido de quem sai da cidade de Belém, em direção a Castanhal, mostra que já há uma longa fila de carros. 

ASSISTA!


A Polícia Militar esteve no local acompanhando a movimentação. 

 

Reprodução
 

APLICATIVOS

Além dos caminhoneiros, os motoristas de aplicativos também se manifestaram contra esses aumentos promovidos pela Petrobrás. 

Pela agenda, ainda pela manhã, eles chegaram a bloquear a entrada da Casa Civil, na Almirante Barroso, em Belém, se deslocando depois para vários pontos da cidade.

Anteriormente, os motoristas já tinham se reuniram com Polícia Militar e o Detran que orientaram por não fechar a via toda, apenas uma parte.

Em nota, a Secretaria de Estado de Fazenda informou que o reajuste do preço do combustível é de responsabilidade exclusiva do Governo Federal e da Agência Nacional do Petróleo. Logo, o Estado do Pará aplica o preço da Petrobrás.

Sobre a questão do ICMS, a Secretaria de Estado de Fazenda disse que não houve aumento do imposto estadual. Enquanto isto, a Petrobrás e ANP - ambos vinculados ao Governo Federal - aumentaram em quase 35% o valor da gasolina, na refinaria. O Governo do Estado é solidário à população penalizada com os altos preços dos combustíveis.


Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS