Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
26°
cotação atual R$

Notícias / Trânsito

DESCASO

Gestão de Zenaldo recebeu R$ 860 mil, mas não concluiu pavimentação de rua

A passagem Xingu, que liga os conjuntos Maguari e Satélite, em Belém, está em condições precárias. A obra começou em 21 de maio deste ano e até agora continua do mesmo jeito

sexta-feira, 13/11/2020, 07:36 - Atualizado em 13/11/2020, 07:36 - Autor: Denilson D’Almeida


A via é uma importante rota de fuga do trânsito, mas a buraqueira tem atrapalhado todo mundo
A via é uma importante rota de fuga do trânsito, mas a buraqueira tem atrapalhado todo mundo | Wagner Santana

A via tem menos de um quilômetro de extensão e a Prefeitura de Belém recebeu um financiamento de mais de R$ 860 mil do Banco do Brasil para fazer a pavimentação asfáltica e o sistema de drenagem. Uma placa no local indica que a obra começou em 21 de maio deste ano, com previsão de ser concluída em até 120 dias, ou seja, deveria ter sido entregue no final do mês de setembro. Mas até hoje, a passagem Xingu, que liga os conjuntos Maguari e Satélite, se parece mais com uma pista de rallye que uma importante via alternativa para o trânsito da capital paraense. O motivo dela estar assim é que, segundo a comunidade, a gestão de Zenaldo Coutinhoabandonou o serviço e deixou a rua pior do que estava.

Transitar pela passagem Xingu exige principalmente coragem. Os riscos são vários, pois com tantos buracos, os acidentes são inevitáveis por ali. Isso sem falar nos danos que a buraqueira junto a lama causam aos veículos. O mecânico Nazareno Lobato, 32, sabe disso. Ele já perdeu as contas de quantas motocicletas teve de consertar depois que o condutor passou por ali. “O que eu tenho de clientes reclamando das condições desta pista não dá para contar. O meu medo de passar por aqui é cair em um buraco desses ou ser atingido por outro veículo que esteja desviando de um deles.”

Ele passa pelo local ao menos duas vezes por dia, para ir e voltar do trabalho. “Já são muitos anos que essa via é ruim. Quando não é a lama que a gente enfrenta, é a poeira. E os buracos existem em qualquerestação do ano”, reclamou.

PROMESSAS

Nazareno lembra que a Câmara Municipal de Belém tem dois vereadores que foram eleitos em 2016 graças aos votos dos moradores do conjunto Maguari e Satélite. “Mas nenhum deles veio aqui fiscalizar o abandono da obra, já tem 20 dias que está parada”, lamentou. “O motorista que precisa passar por aqui tem o patrimônio (o veículo) todo danificado”,acrescentou o mecânico.

O trânsito no local é intenso. Veículos grandes e pequenos dividem o mesmo espaço com as motos e as bicicletas. A passagem Xingu é estreita e até agora a única benfeitoria feita ali foi a construção da calçada, mas que tem menos de um metro de largura. “Não dá para usar a calçada, é estreita e por ela mal passam os pedestres”, ressaltou o ciclista Leandro Bittencourt, 38, que mora na rodovia Mário Covas e tem a Xingu como rota para ir e voltar do trabalho. “Passo por aqui todos os dias. A obra está parada desde outubro e ninguém aqui sabe se vaiser retomada”, reclamou.

Durante o tempo em que a reportagem esteve no local vários ciclistas e motoristas faziam sinal negativo, para mostrar que as condições da via estão péssimas.

O DIÁRIO solicitou à Prefeitura de Belém um posicionamento sobre a paralisação da obra e perguntou quando ela será retomada, mas até o fechamento desta edição não houve resposta.

O financiamento para as benfeitorias ali foi de R$ 861.396,58, valor concedido pelo Banco do Brasil, portanto, recurso federal.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS