Diário Online

Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$
TE CUIDA

Exercícios físicos x saúde mental. Veja quais os enormes benefícios desta relação! 

A prática de exercícios pode ter um impacto profundamente positivo em vários aspectos como aliviar o desânimo, elevar a autoestima, combate a insônia, a depressão, estresse e muitos outros fatores

quarta-feira, 24/02/2021, 19:00 - Atualizado em 24/02/2021, 18:59 - Autor: Lana Oliveira


Imagem ilustrativa da notícia Exercícios físicos x saúde mental. Veja quais os enormes benefícios desta relação! 
| Reprodução

No cenário atual, adquirir hábitos saudáveis se tornou fator essencial para melhorar a saúde e o bem-estar. Ao longo do dia, incluir atividades físicas, por exemplo, pode trazer bons resultados e ajudar na prevenção de vários problemas físicos e também contribuir para a saúde mental.

A prática de exercícios pode ter um impacto profundamente positivo em vários aspectos como aliviar o desânimo, elevar a autoestima, combate a insônia, a depressão, estresse e muitos outros fatores. E por esse motivo, muitos especialistas recomendam que essas atividades auxiliam no tratamento de problemas mentais.

Qual a importância dos exercícios físicos para a saúde mental?

Segundo a educadora física, Adriana Araújo, manter uma vida ativa influencia em vários aspectos. "Quando a gente fala em saúde mental, ter uma vida ativa vai desencadear uma cascata biológica de eventos que são benéficos para a saúde das pessoas nesse contexto, melhorando a capacidade cognitiva delas, a memória, o raciocínio, reduzindo, inclusive, as alterações de humor que influenciam nos níveis de ansiedade e de estresse, permitindo assim, uma melhor sensação de energia, de autoestima, melhorando o bem estar geral dessas pessoas”, explica.

 

 

Portadores de doenças psíquicas podem ou devem se exercitar?

A educadora física indica que sim. “Pessoas que são acometidas por doenças psíquicas não só podem, como devem se exercitar. Nesse contexto que elas se encontram, a pratica de exercícios físicos pode auxiliar o acompanhamento psicológico ou psiquiátrico continuo que essa pessoa esteja fazendo, dessa forma vai fortalecendo, estimulando o paciente durante todo o tratamento”.

Qual o papel dos exercícios físicos no tratamento de transtornos mentais?

De acordo com o psicólogo Felipe Barata, a prática de atividades amenizam os efeitos colaterais durante o tratamento. “O exercício físico vai incidir, basicamente, sobre aqueles pacientes que fazem acompanhamento psiquiátrico com medicamento de um quadro tanto leve quanto moderado, para fazer com que o corpo dele não padeça tanto com os efeitos colaterais do remédio. Isso porque tem alguns remédios que, como efeito colateral, vão te dar um corpo mais pesado, com menos energia. Eles [os remédios] irão simular uma situação de falta de ânimo. São, geralmente, os remédios para controlar psicose, para controlar transtorno bipolar e os antidepressivos antes de o corpo se acostumar com a ação química dele”.

 

 

Clique aqui mais um episódio da coluna "Te Cuida!" em versão podcast

Quais os principais fatores psicológicos positivos da atividade física para a saúde mental?

Um dos principais benefícios é a produção de substâncias no corpo. “O exercício físico vai funcionar tirando esse sujeito dessa inércia, tirando esse sujeito da cama, fazendo com que ele tenha, minimamente, ao longo de uma hora, trinta minutos, dependendo da intensidade do exercício, que se programar, comer antes, fazer digestão, repouso e começar a fazer os exercícios. Esse exercício vai fazer com que o corpo entre em movimento. Entrando, em movimento, vou ter produção de neurotransmissores, vou ter produção de serotonina, de algumas substâncias que vão fazer com que esse indivíduo ganhe prazer depois de uma atividade concluída, assim como ajudar esse medicamento a funcionar melhor”, afirma Felipe.

Ainda segundo o psicólogo, o exercício físico traz fatores positivos em todos os níveis. “Não interessa se o quadro é leve, moderado ou grave, o exercício físico vai ter algum tipo de importância [para os pacientes], não só no condicionamento físico, mas também ter uma importância neuroquímica para manutenção do remédio. Esse corpo não estará tão à mercê dos efeitos colaterais do remédio e não estará tão à mercê da condição que o tem acometido. Ele estará funcional. Mesmo que o exercício seja dar duas voltas na praça". 

Quais os efeitos da atividade física no corpo e na mente?

São três os principais fatores positivos desenvolvidos no corpo e na mente, garante Adriana. “Existem três tipos de efeitos fisiológicos que os exercícios podem nos proporcionar. São os efeitos agudos imediatos, aqueles que ocorrem imediatamente após os exercícios, como o aumento da circulação sanguínea, por exemplo. Existem os efeitos agudos tardios, que são aqueles que ocorrem nas primeiras 24h após o exercício, como a redução dos níveis da pressão arterial, que favorece indivíduos hipertensos e o aumento de receptores de insulina nas células o que favorece o tratamento de diabetes. E para fechar, existem os efeitos crônicos que é o terceiro, chamados efeitos adaptativos que resultam da frequência regular ao treinamento físico, como a melhora da força e resistência cardiorrespiratória”.

Texto: Lana Oliveira

Edição: Fabiana Batista

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS