Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$

Notícias / Te Cuida

DICAS

Dia Mundial do Coração: doenças do coração estão entre as principais causas de morte no país

Saiba como manter um coração saudável com seis dicas de um especialista

terça-feira, 29/09/2020, 14:24 - Atualizado em 29/09/2020, 15:06 - Autor: Agência Pará


| Divulgação / HRSP

Nesta terça-feira (29), é celebrado o Dia Mundial do Coração, uma data que serve de alerta e conscientização sobre a importância de manter hábitos saudáveis para garantir o bom funcionamento do órgão. De acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC), as doenças cardiovasculares são responsáveis por 30% dos óbitos em todo o País.

Para David José Tozetto, cardiologista do Hospital Regional do Sudeste do Pará (HRPT), em Marabá (PA), os cuidados com o coração devem ser redobrados em mulheres, acima dos 55 anos, e homens, acima dos 45. "Esse cuidado merece ainda mais atenção em pessoas que possuem histórico de doenças cardiovasculares na família. A melhor atitude é cuidar da saúde muito antes de atingir essa idade ou, então, tomar as devidas medidas para se prevenir", recomenda o especialista.

Até o final do ano, de acordo com a SBC, doenças cardiovasculares irão matar cerca de 400 mil pessoas no Brasil. O cardiologista destaca a necessidade de atenção aos fatores de risco que afetam o coração, como o sedentarismo, obesidade, tabagismo, colesterol alto e a hipertensão.

"As doenças cardiovasculares se previnem com um estilo de vida saudável, seguindo uma dieta balanceada, evitando fumar, beber álcool em excesso, não usar drogas e, principalmente, praticar atividades físicas", ressalta o profissional.

Para ajudar na prevenção, o cardiologista separou seis dicas para manter hábitos saudáveis para o coração. São elas:

- Reduza o estresse: O estresse provoca uma série de alterações no organismo, contribuindo para o surgimento de diversas patologias, como o aumento da pressão arterial, decorrente da descarga de adrenalina. Tenha atividades de lazer, que possam trazer bem-estar e reduzir a tensão;

- Evite o cigarro e consumo de bebidas alcoólicas: O álcool causa danos às células do coração, aumenta as chances para doenças cardiovasculares (infarto e insuficiência cardíaca). Já o tabagismo contribui para o estreitamento das artérias e para a elevação da pressão arterial;

- Alimentação saudável: Priorize alimentos naturais, frutas, legumes, verduras, carnes magras, grãos e cereais. Evite produtos industrializados, fast-food e alimentos ricos em gordura que resultam na obstrução das artérias. Use o sal com moderação, pois ele eleva a pressão arterial;

- Controle o peso: Estar acima do peso contribui para desencadear diversas doenças cardiovasculares, como hipertensão e colesterol alto. Tenha uma boa alimentação e saia do sedentarismo;Faça atividades físicas: É uma forma de prevenir e promover mais qualidade de vida ao coração. As indicações são os exercícios aeróbicos, no mínimo, três vezes por semana, como corrida, caminhada, ciclismo, natação e dança. É importante consultar o médico para mais orientações sobre a atividade adequada;

- Realize acompanhamento médico: Realize o check-up anual, controle a pressão arterial com uma periodicidade maior, principalmente quando se tem histórico de doenças cardiovasculares na família. Para quem é hipertenso, a recomendação é realizar a verificação a cada três meses, ou de acordo com a orientação do cardiologista.

Em 2019, o Estado registrou 7.473 internações, e outras 3.146 entre os meses de janeiro e julho deste ano, em decorrência de infarto agudo do miocárdio, transtornos de condução e arritmias cardíacas, e insuficiência cardíaca.

Referência - O Hospital de Clínicas é referência no Pará em cardiologia e único com serviço de emergência 24 horas. Entre janeiro de 2019 e agosto de 2020, o HC ultrapassou a marca de 50 mil atendimentos somente nessa especialidade. Ao todo, foram 23.575 consultas ambulatoriais (19.251 para adultos e 4.324 para crianças), 794 cirurgias (549 em adultos e 245 em crianças), além de 27.368 atendimentos no serviço de emergência e 3.064 procedimentos de hemodinâmica.

Doenças isquêmicas do coração - como infarto, angina, arritmia e insuficiência cardíaca - estão entre as principais causas da busca por atendimentos na unidade de saúde. “O Dia Mundial do Coração é uma oportunidade para falarmos de prevenção para aqueles que não sofrem de problemas do coração ou que já tiveram alguma dessas doenças. É um momento para falar sobre como mudar os hábitos de vida, como alimentares, estilo de vida (evitar álcool e tabagismo), realizar atividades físicas sempre bem orientadas”, alerta Aldine Torres de Miranda, cardiologista do HC.

Outros fatores também podem ser agravantes, como diabetes, hipertensão, estresse, obesidade, doença da tireoide, colesterol alto e histórico familiar. Por isso, a médica recomenda um acompanhamento regular, para que se possa identificar de maneira precoce qualquer alteração por meio de exames básicos e específicos. 

Melhores do País - Em 2019, o Hospital de Clínicas Gaspar Vianna foi reconhecido pelo segundo ano consecutivo com o Selo de Excelência Máxima do Programa de Qualidade Boas Práticas em Cardiologia, concedido pela “American Heart Association” em parceria com o Ministério da Saúde, a Sociedade Brasileira de Cardiologia e o Hospital do Coração de São Paulo. Com a conquista, o HC figura entre os quatro melhores do Brasil na sua categoria.

Além do serviço de emergência, o Hospital de Clínicas também é referência em Nefrologia e Psiquiatria, e dispõe de Unidade de Terapia Intensiva Coronariana com 10 leitos e infraestrutura para atendimento em consultas ambulatoriais para pacientes encaminhados via regulação estadual, além de leitos para internação e realização de cirurgias em adultos e crianças.

Rede Estadual - No âmbito estadual, o serviço de cardiologia é oferecido ainda pelo Hospital Regional Dr. Abelardo Santos, Hospital Galileu e Hospital Jean Bitar, em Belém; no Hospital Regional da Transamazônica, em Altamira; Hospital Regional do Baixo Amazonas, em Santarém; Hospital Regional do Baixo Tocantins (Santa Rosa), em Abaetetuba; Hospital Geral de Tailândia; Hospital Geral de Ipixuna do Pará (GHI); Hospital Regional do Sudeste do Pará Dr. Geraldo Veloso (HRSP), em Marabá; Hospital Regional Público do Marajó (HRPM), em Breves, e Hospital Regional Público do Leste (HRPL), em Paragominas.  O Hospital Regional do Tapajós, em Itaituba, oferece atendimento em emergência cardiológica, via regulação estadual.

Além desses hospitais, as consultas em cardiologia também estão disponíveis na Policlínica Metropolitana, em Belém, mediante encaminhamento de uma Unidade Básica de Saúde (UBS). Os dados são do Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde do Brasil (CNES), do Ministério da Saúde. O fluxo inicial de atendimento é feito pelas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) e Unidades Básicas de Saúde, geridas pelas prefeituras.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS