Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
32°
cotação atual R$

Notícias / Te Cuida

SAÚDE E BEM ESTAR

Agosto é para fechar a boca e malhar!

O fim da alta temporada de verão é um momento propício para desintoxicar o organismo e investir em uma vida mais equilibrada

sábado, 01/08/2020, 17:34 - Atualizado em 01/08/2020, 17:34 - Autor: Denilson D’almeida/Diário do Pará


Roberto Bino corre atrás do prejuízo com a ajuda do educador físico Andrei Miranda
Roberto Bino corre atrás do prejuízo com a ajuda do educador físico Andrei Miranda | Wagner Santana/Diário do Pará

 

Há poucos dias o cantor Roberto Bino manifestou interesse em manter hábitos saudáveis e buscar a tão falada qualidade de vida. Com a pandemia de covid-19, essa empreitada exigiu dele um olhar mais atento, já que não se tratava apenas de se matricular numa academia e começar uma dieta. Tinha que atentar para a importância de aumentar a imunidade e evitar estar em ambientes que apresentem aglomerações. Bino, como é mais conhecido, optou por ter aulas de musculação e circuito funcional na quadra e academia do condomínio onde mora, no centro de Belém. “Eu já percebo resultados no cotidiano. Estou mais predisposto e tenho mais qualidade de sono”, comentou. 

Nos últimos anos, com o ‘boom’ da chamada ‘geração saúde’, iniciativas como a do cantor se tornaram cada vez mais frequentes entre a população. Na prática, independentemente de pandemia ou não, é sempre tempo para mergulhar em projetos que busquem não somente cuidar do corpo e da forma, mas fazer deste hábito uma premissa para viver melhor e com mais saúde. 

Para o professor de educação física Andrei Miranda, que por sinal é o personal trainer de Bino, o melhor momento para começar a praticar atividades físicas é agora. “Mas é importante fazer um check-up completo antes, independentemente da idade. Saber como está o coração, se a pessoa tem alguma limitação. Tudo isso vai ajudar o personal a montar o melhor programa, atendendo as necessidades daquela pessoa”, frisa. 

“O programa montado tem que trabalhar a coordenação motora, melhorar o condicionamento físico e fortalecer os músculos do indivíduo. Por isso que a gente aconselha sempre que as atividades físicas sejam acompanhadas por um profissional. Quando o médico libera para os treinos e diz qual a situação daquela pessoa, a gente vai saber como agir com segurança”, alerta Andrei, que é especialista em fisiologia do exercício. 

Uma das questões que se levanta em relação a começar a praticar atividades físicas é quanto às condições financeiras de cada pessoa e também do que ela pode ou não fazer, ou se propõe a fazer, para sair do sedentarismo. Neste sentido, a caminhada – que é a atividade mais comum e também democrática, já que todos são aconselhados a fazer – acaba sendo sempre a mais recomendada. Tanto que no início da manhã e no final da tarde, os calçadões, as praças e algumas ruas ficam lotadas de homens e mulheres caminhando.

Andrei lembra que essa atividade também requer alguns cuidados, principalmente em relação ao resultado que cada pessoa quer alcançar com o exercício. “A gente encontra muitas pessoas caminhando por conta própria e, assim, muitas delas pulam algumas etapas por quererem um resultado bem mais rápido”, observa o educador físico. 

“É importante que elas primeiro façam um trabalho de coordenação motora, de mobilidade, de estabilidade, para depois chegar em outras capacidades. Não adianta começar um trabalho do meio para o fim. Para começar, você tem que ter uma base”, reitera Andrei. “Os maiores índices de lesões são justamente por isso, porque as pessoas já querem começar fazendo atividades mais avançadas”, alerta. 

AQUECIMENTO

O educador físico orienta que, antes de qualquer atividade, as pessoas tirem dez minutos para aquecimento e alongamento. O ritual de alongamento deve ser repetido ao final do exercício. “É bacana fazer caminhada, mas é importante incluir atividades que englobam força – o treinamento funcional é uma delas, a própria musculação. É essa linha que a gente tem que começar a seguir”, completa. 

Sobre a frequência, Andrei indica que iniciantes façam atividades três vezes por semana. Para quem se exercita mais de 3 vezes por semana, se deve respeitar um intervalo de descanso de 24 horas. 

 

ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL TAMBÉM É IMPORTANTE

O cuidado com a alimentação também faz parte de qualquer projeto que prime para uma vida saudável. No entanto, julho, mês em que os paraenses vivem a alta temporada do verão – mesmo com a pandemia muitos seguiram para as praias – é normal que alguém tenha exagerado na bebida ou até na comida. Por isso, os primeiros dias do mês de agosto podem e devem ser dedicados para fazer a desintoxicação do organismo antes de começar a balancear a dieta. 

“Mesmo com essa pandemia, em que tudo é novidade, a gente tem que lembrar que sempre foi e é importante manter a imunidade do nosso organismo”, frisa a nutricionista Giovana Costa. Ela recomenda alimentos mais leves para quem está retornando das praias e balneários, além da hidratação do corpo. “O suco detox é muito saudável para tomar de manhã, principalmente em jejum. Inclusive o mais comum que é o que leva abacaxi, couve, limão, gengibre e maçã”, sugere. 

Para manter a hidratação do corpo, além de beber bastante água, Giovana destaca que as pessoas podem consumir frutas, especialmente as que concentram muita água. “Melancia, melão, tangerina, abacaxi, laranja e pera. São algumas das frutas ricas em vitaminas e água e que a pessoa pode levar para onde for em pequenas marmitas”, recomenda. 

A nutricionista sugere ainda que a pessoa que pretende desintoxicar o organismo evite comer carne vermelha pelos próximos dias. O ideal é carne branca (frango e peixes), de preferência cozido ou assado na brasa ou forno. Evitar comê-los fritos. “Diminuir frituras é importante”, alerta. Questionada se substituir a carne, seja branca ou vermelha, por soja seria uma boa opção, ela atenta que a soja é proteína vegetal, podendo ser usada como complemento no cardápio. 

“O jantar também precisa ser mais leve que o almoço”, fala Giovana. “Se a pessoa comeu feijão no almoço, por exemplo, não precisa comer no jantar. Sendo que o ideal seria jantar uma sopa de legumes e verduras ou uma salada crua”. Aveia, linhaça e chia não devem faltar na salada crua. 

Também não é aconselhável substituir o jantar por mingau de aveia, como algumas pessoas fazem. “O mingau pode ser um pós-jantar para quem dorme tarde. Mas ele não substitui uma refeição”, pontua.

 


Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS