Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$

Notícias / Santarém

COVID-19

Hospital de Campanha de Santarém começa a funcionar na próxima semana com 60 leitos exclusivos

A nova unidade é mais uma entre as várias estratégias adotadas pelo Governo do Pará no combate à pandemia na região Oeste

domingo, 14/02/2021, 15:33 - Atualizado em 14/02/2021, 15:33 - Autor: Agência Pará


| AD Produções / Divulgação

O Hospital de Campanha de Santarém, no Oeste do Pará, deve começar a funcionar na próxima semana, com mais 60 leitos exclusivos para Covid-19. A ofertada é pelo governo do Pará. A nova unidade é um convênio do Estado com a Prefeitura de Santarém, e está sendo montada na Escola Estadual Maria Uchoa Martins, localizada no bairro Floresta, a 800 metros do Hospital Regional do Baixo Amazonas (HRBA).

Essa é mais uma estratégia do Estado para combater a pandemia de Covid-19 na região e desafogar os hospitais, principalmente a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), que já registra um grande fluxo de atendimento.

“É muito importante ressaltarmos que, apesar de termos saído de 86 para 250 leitos de retaguarda nos polos Santarém, Juriti e Itaituba, a estrutura que está sendo montada em parceria com a Prefeitura de Santarém será de fundamental importância para o tratamento de pacientes com Covid-19 neste momento tão difícil. O Hospital de Campanha vem para somar”. - Sipriano Ferraz,  secretário adjunto de Saúde Pública.

A montagem do espaço já está bem adiantada. Dentro da escola serão montadas cinco enfermarias, com oito leitos cada; uma enfermaria com 16 leitos; sala de estabilização, com quatro leitos; posto de enfermagem; farmácia; almoxarifado; salas para médicos e enfermeiros; coordenação de enfermagem e uma sala para o Núcleo Interno de Regulação. Alguns equipamentos já estão chegando, e o tanque de oxigênio que abastecerá o Hospital já está a caminho de Santarém.

O Hospital de Campanha é mais uma estratégia do governo do Estado para conter o avanço da Covid-19 no Oeste, que enfrenta uma segunda onda de contágio pelo novo coronavírus. Há quase 30 dias, o governo vem atuando principalmente nas regiões do Baixo Amazonas e Tapajós, com ações estratégicas e respostas rápidas para atender a população.

“A Sespa (Secretaria de Estado de Saúde Pública) vem se esforçando para conter a proliferação do vírus no Estado. Depois da detecção da nova variante na região do Baixo Amazonas, vem intensificando suas ações. Dentre elas, já fizemos aquisições de cilindros para dar suporte aos municípios da Calha Norte, aumentamos o quantitativo de doses de vacinas, e ajudamos, junto com o governo federal, no transporte de usinas de produção de oxigênio para o município de Oriximiná e Alenquer”, disse o secretário de Estado de Saúde Pública, Rômulo Rodovalho.

Abertura de leitos

Nesta semana, a Sespa abriu mais 10 leitos de UTI no Hospital Regional do Baixo Amazonas. Agora, a unidade conta com 61 leitos de UTI e mais 35 leitos clínicos, totalizando 96 leitos exclusivos para o enfrentamento da pandemia. No último domingo (7), a Sespa já havia aberto 24 leitos clínicos para casos de Covid.

 Atualmente, nas regiões do Baixo Amazonas e Tapajós, o Estado está ofertando 250 leitos exclusivos para pacientes com Covid-19, sendo 146 de UTI e 104 clínicos. São 164 leitos a mais do que as regiões tinham em dezembro do ano passado, quando estavam disponíveis 86 leitos para tratamento da doença.

Cilindros – Mais de 500 cilindros de oxigênio foram adquiridos pelo governo para abastecer toda a região, o que evitou o desabastecimento nos hospitais. O material chegou de avião a Santarém, distribuídos em três remessas. O desembarque logístico em cada operação contou com o apoio da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros Militar, Exército Brasileiro e funcionários da Infraero (Empresa de Infraestrutura Aeroportuária).

A logística de envio foi elaborada pela Sespa, que levou em consideração a situação de cada município e as principais rotas de acesso às cidades. A carga foi enviada por vias terrestre e fluvial, em lanchas cedidas pela mineradora Alcoa Juruti.

Barco Papa Francisco – Financiado pelo governo do Estado, o Barco Hospital Papa Francisco está levando atendimento a comunidades ribeirinhas da Calha Norte. Só em fevereiro, a embarcação percorrerá nove municípios, em duas etapas.

Com uma equipe formada por 13 profissionais, com cerca de 700 atendimentos diários, o Barco Hospital visa garantir o acesso a serviços de saúde, principalmente de comunidades ribeirinhas, a fim de tratar os casos de Covid-19 de forma preventiva, evitando o agravamento da doença.

Desde 1º de fevereiro, o barco já passou por cinco cidades, contabilizando 4.926 procedimentos, entre exames, consultas médicas e de enfermagem, além da entrega de medicamentos, beneficiando 1.432 pessoas. Na segunda etapa, que começará no próximo dia 15, o Barco Hospital passará pelos municípios de Almeirim, Prainha, Monte Alegre e Alenquer.

Vacinas – No grande esforço para conter o avanço da pandemia nos municípios próximos ao Estado do Amazonas, o Governo do Pará garantiu 11.503 doses de vacinas, enviadas às regiões do Baixo Amazonas e Tapajós para imunização de idosos acima de 80 anos. Foram as primeiras regiões do Estado a imunizar esse segmento da população.

A antecipação da etapa de vacinação compõe a estratégia do Estado para criar uma barreira imunológica na região, especialmente entre as faixas etárias com maior risco de contágio e morte, já que Santarém e outros municípios da região registraram casos da mutação do novo coronavírus, denominada P1.

Os municípios que receberam as doses exclusivas para vacinar idosos são: Alenquer, Almeirim, Belterra, Curuá, Faro, Juruti, Mojuí dos Campos, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Placas, Prainha, Santarém, Terra Santa, Rurópolis, Trairão, Itaituba, Aveiro, Novo Progresso e Jacareacanga.

Distribuição de EPI – Um total de 287.751 equipamentos de proteção individual (EPIs) foi distribuído pelo governo do Estado, por meio da Sespa, aos municípios do Baixo Amazonas. Foram enviados 1.111 frascos de 450 gramas de álcool em gel; 243.250 caixas com 50 máscaras cirúrgicas descartáveis com elástico; 30.640 caixas com 10 máscaras N95; 1.350 caixas com 50 máscaras “face shield” e 11.400 caixas com 100 toucas cirúrgicas com elástico.

Os municípios contemplados foram Alenquer, Almeirim, Aveiro, Belterra, Curuá, Faro, Itaituba, Jacareacanga, Juruti, Mojuí dos Campos, Monte Alegre, Novo Progresso, Óbidos, Oriximiná, Placas, Prainha, Rurópolis, Santarém, Terra Santa e Trairão.

Lockdown – O governo do Estado decidiu manter no Oeste as medidas restritivas estabelecidas no Decreto Estadual 800/2020, publicado com alterações no último dia 30 de janeiro. Dentre as restrições está a permanência do bandeiramento da cor preta no Baixo Amazonas, que está em lockdown há 11 dias. A medida, que deve durar por até sete dias, foi adotada devido ao alto número de internações de pessoas infectadas pelo novo coronavírus registrado na região.

As restrições se aplicam a todos os municípios do Baixo Amazonas, suspendendo as atividades não essenciais em Alenquer, Almeirim, Belterra, Curuá, Faro, Juruti, Mojuí dos Campos, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Placas, Prainha, Santarém e Terra Santa.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS