Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
29°
cotação atual R$

Notícias / Política

UNANIMIDADE

STF condena deputado Éder Mauro por difamação contra Jean Wyllys

terça-feira, 18/08/2020, 20:35 - Atualizado em 18/08/2020, 20:35 - Autor: Com informações de Renan Ramalho/O Antagonista


O parlamentar é acusado por Wyllys de editar e distorcer um vídeo publicado em uma rede social em que o ex-deputado discursa em uma CPI da Câmara sobre violência contra jovens negros e pobres.
O parlamentar é acusado por Wyllys de editar e distorcer um vídeo publicado em uma rede social em que o ex-deputado discursa em uma CPI da Câmara sobre violência contra jovens negros e pobres. | Reprodução

A 1ª Turma do STF (Supremo Tribunal Federal) condenou nesta terça-feira (18) o deputado federal Eder Mauro (PSD-PA) a pagar 30 salários mínimos a Jean Wyllys por ter difamado o então parlamentar nas redes sociais.

No julgamento, os ministros concluíram que Mauro editou um discurso de Wyllys e compartilhou o vídeo na internet para prejudicá-lo.

Inicialmente, o relator, ministro Luiz Fux, propôs 1 ano de detenção em regime semiaberto ao parlamentar, mas a pena foi convertida pelo pagamento de 30 salários mínimos.

No caso, Mauro editou um vídeo em que Wyllys havia afirmado que existe um imaginário "sobretudo nos agentes das forças de segurança de que uma pessoa negra e pobre é potencialmente perigosa".

O deputado, no entanto, recortou o início da frase e publicou um vídeo nas redes sociais em que dava a entender que Wyllys tinha dito que "uma pessoa negra e pobre é potencialmente perigosa". Mauro é um dos principais defensores do presidente Jair Bolsonaro no Congresso.

Todos os ministros acompanharam a maior parte do voto de Fux.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS