Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis


27°
R$

Notícias / Polícia

Polícia

Em dois meses, 1.172 pessoas foram presas no Pará

sexta-feira, 01/03/2019, 09:40 - Atualizado em 01/03/2019, 10:04 - Autor:


Com um saldo de 1.172 prisões em todo o Estado do Pará a Polícia Civil apresentou um balanço das ações e operações especiais realizadas no 1º bimestre de 2019. Os números foram divulgados durante uma coletiva à imprensa que tratou da ‘Operação Hárpia’, realizada ontem (28), com o objetivo de cumprir 200 ordens judiciais (mandados de prisões) em toda a Região Metropolitana de Belém. A Hárpia foi a 405ª operação realizada pela polícia entre os meses de janeiro a fevereiro e também buscou garantir a sensação de segurança durante o período de carnaval.


Até o fechamento dessa edição, 33 pessoas já tinham sido presas dentro da operação que contou com 120 policiais civis e militares. Além disso, no dia anterior a ação policial, 20 mandados de prisões foram cumpridos dentro das casas penais da grande Belém. Isto porque as ordens judiciais eram referentes a outros processos e investigações pelos quais presos respondiam e que ainda não haviam sido presos.


“Tem pessoas respondendo a mais de um crime, processos distintos. Às vezes ele está preso por uma situação e respondendo por outra”, reiterou o delegado geral Alberto Teixeira.


Entre os presos pela operação, estava Edmilson das Chagas Santos, idade não divulgada, que responde por tentativa de homicídio. O delegado Daniel Castro, titular da Delegacia da Pedreira, foi quem cuidou de cumprir a ordem de prisão contra ele. “A informação que nós tínhamos era de que ele estava escondido em Mosqueiro, ao chegarmos lá tomamos conhecimento que ele trabalhava como guardador de carros atrás do Terminal Rodoviário, em São Brás, e lá o encontramos”, pontuou.


Castro enumerou ainda que além de Edmilson, cumpriu dois mandados de prisão contra pessoas envolvidas em roubos na capital.


Os presos foram conduzidos até a Delegacia Geral, no bairro de Nazaré, onde passaram por exame de corpo delito e, em seguida, foram encaminhados para o sistema penal. Com um comportamento que chamou a atenção dos policiais, Marcelo Maycon, de 32 anos, foi capturado e estava sorrindo durante o exame.


Questionado sobre a sua prisão, ele admitiu que há 10 anos matou a companheira e tentou contra a vida do amante. “Eu matei ela e tentei matar ele e não consegui. Só é estranho porque já estive preso antes e pensei que já tinha cumprido minha pena”, comentou Marcelo, que estava na condição de foragido.


BALANÇO


O delegado Alberto Teixeira aproveitou a coletiva sobre a operação Hárpia para apresentar os números gerais das ações de janeiro e fevereiro. “A operação Hárpia é para garantir que a população possa passar um carnaval mais tranquilo”, enfatizou. “E temos um bom resultado a apresentar em relação aos trabalhos feitos pela polícia no 1º bimestre”, reforçou.


O diretor de Policiamento Metropolitano, delegado Marco Antônio Duarte, ressaltou que as ordens judiciais cumpridas durante a operação Hárpia no geral também se referiam a mandados que estavam em abertos. “Ordens relacionadas a diversos processos e inquéritos por roubo, homicídio, latrocínio, tráfico de drogas, recaptura e violência doméstica”, explicou.


As operações policiais comandadas pela DPM (Diretoria de Policiamento Metropolitano) realizadas no 1º bimestre resultaram em 98 prisões e apreensões de 26 armas de fogo, além de 243 munições. No total, a diretoria promoveu 77 operações em toda a grande Belém entre janeiro e fevereiro.


Já a Diretoria de Policiamento do Interior promoveu 256 operações especiais no primeiro bimestre de 2019. Somente esta semana, 78 prisões foram feitas em 14 municípios paraenses fruto destas ações, conforme apresentou o delegado José Humberto Melo, titular da DPI.


O diretor de Policiamento Especializado, delegado Sérvulo Cabral, frisou que as unidades de polícia especializada fecharam o 1º bimestre tendo feito 205 prisões em flagrante e a apreensão de 20 armas de fogo.


NÚMEROS


1.172 pessoas foram presas, em 2 meses, pela Polícia Civil.
405 operações policiais foram realizadas em todo território paraense, destas:
256 ocorreram no interior do Estado
77 se concentraram na Região Metropolitana de Belém
65 foram organizadas pela DPE
7 pela Diretoria de Atendimento a Vulneráveis


(Denilson D’almeida/Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS