Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis


30°
R$

Notícias / Polícia

Polícia

Jovem sai para comprar refrigerante e é executado a tiros no Paar

segunda-feira, 25/02/2019, 07:52 - Atualizado em 25/02/2019, 09:22 - Autor:


Assassinos que circulam em um carro prata voltaram a atacar na Região Metropolitana de Belém. O crime aconteceu no conjunto Paar, em Ananindeua, na noite de sábado (23) e a vítima foi um rapaz de 22 anos, que saiu de casa para comprar um refrigerante.


Segundo informações no local do crime, fornecidas por testemunhas que preferiram não se identificar, foram mais de 20 tiros, de dois pentes de pistolas disparados na rua Porto Velho, esquina da rua Rio Negro. Do total, 13 balas acertaram o corpo de Willames Pereira da Silva.


As primeiras informações obtidas por policiais militares, junto a familiares do rapaz, apontavam que a vítima saiu de casa, a 200 metros do local do crime, atendendo pedido do pai para comprar um refrigerante, em um carro de lanches na esquina.


A família de Willames logo foi avisada. Correram para o local e tentavam entender o motivo da execução. Segundo policiais militares, testemunhas informaram que o ataque foi praticado por dois homens armados que desceram de um carro prata de placa não anotada.


TRABALHADOR


Segundo familiares de Willames Pereira da Silva, ele não tinha vícios e trabalhava com o pai. Uma equipe da Divisão de Homicídios, chefiada pelo delegado Eduardo Rollo, esteve trabalhando no levantamento de informações relacionadas à execução.


Matadores descarregaram as armas na vítima


Testemunhas que estavam na esquina da rua onde ocorreu o ataque disseram que ouviram sons de 20 disparos, que só cessaram quando as armas estavam descarregadas. “Foi muito tiro e isso deixou todo mundo apavorado”, comentou um morador da rua Porto Velho.


No portão de uma casa onde Willames Pereira da Silva caiu morto ficaram as marcas da violência. O rapaz foi atingido com 13 disparos de uma pistola de uso restrito e o caso foi classificado pelo perito Nazareno Melo como uma execução.


“Foi uma sequência de disparos que não deu chance de defesa à vítima. Foram 13 os tiros e muitas as evidências encontradas no local do crime”, informou o perito criminal, do Instituto de Criminalística.


O corpo foi removido para o Instituto Médico Legal. Familiares fizeram o registro do crime na delegacia do bairro. Os autores do assassinato estão foragidos.


(JR Avelar/Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS