Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
23°
cotação atual R$

Notícias / Polícia

OPERAÇÃO STRIKE

Mais dois são presos por envolvimento em assalto a banco em Cametá

Um policial militar também foi preso como resultado da operação policial que mobilizou as polícias civis do Pará e de Goiás.

quinta-feira, 04/02/2021, 20:18 - Atualizado em 04/02/2021, 20:18 - Autor: Fernanda Palheta


Crime aconteceu em dezembro do ano passado na cidade do nordeste paraense.
Crime aconteceu em dezembro do ano passado na cidade do nordeste paraense. | Agência Pará/Divulgação

Um homem e uma mulher foram presos nesta quinta-feira (4) em Águas Lindas de Goiás, em Goiás, acusados de envolvimento no assalto a banco no município de Cametá, nordeste paraense, em dezembro do ano passado. O casal, segundo a polícia, teve participação direta no planejamento, financiamento e execução do crime. 

Bandidos não levaram dinheiro de banco em Cametá, diz investigação

Ontem (3), um policial militar foi preso em Tucuruí, no sudeste paraense, por ser um dos principais organizadores do crime, além de ter participado do planejamento e apoio logístico ao bando, além de atuação direta no roubo.

A prisão é resultado da Operação Strike, que mobilizou as polícias civis do Pará e de Goiás.

Relembre

O assalto aconteceu na madrugada de 2 de dezembro de 2020 e ficou marcada na memória da população cametaense que testemunhou uma quadrilha fortemente armada, fazendo dezenas de reféns e promovendo pânico com intensas trocas de tiros contra a polícia.

A ação durou mais de uma hora e é conhecida como “vapor” ou “novo cangaço”, quando uma quadrilha invade uma cidade com forte aparato bélico, como fuzis e explosivos, tendo como alvo instituições bancárias, delegacias e até quartéis da polícia.

  1. Refém de assalto a banco em Cametá relata extrema violência dos bandidos; veja o vídeo!
  2. Imagens inéditas mostram o momento de explosão do banco em Cametá
  3. Enterro de locutor morto durante assalto em Cametá é marcado por homenagens

Na época, os alvos foram as agências do Banco do Brasil e Banpará. Segundo a polícia, uma pessoa usada como refém foi alvejada pelos criminosos e morreu, a vítima era um locutor muito querido na cidade. Outro morador também foi atingido, foi socorrido e não correu risco de morte.

No dia 17 de dezembro, o primeiro envolvido na ação foi preso pelas equipes da DRRBA/DRCO em Wanderlândia, município do Estado do Tocantins.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS