Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$

Notícias / Polícia

AVERIGUAÇÃO

Polícia Civil detém homem que pode ter relação com morte de professor em Belém

Corpo de Francinei Monteiro foi encontrado na noite deste domingo (11) em prédio na Pedreira

segunda-feira, 11/01/2021, 17:58 - Atualizado em 11/01/2021, 19:12 - Autor: DOL


Francinei morava sozinho e não era visto há dias.
Francinei morava sozinho e não era visto há dias. | Reprodução Facebook

A Polícia Civil do Pará deteve, na tarde desta segunda-feira (11), uma pessoa para averiguação e investiga se ela pode ter participação na morte do professor Francinei Monteiro. O corpo dele foi encontrado com as mãos amarradas, na noite deste domingo (10), em um prédio na travessa Doutor Freitas, bairro da Pedreira, em Belém. 

O educador morava sozinho no 12º andar do prédio e não era visto há dias. Vizinhos acionaram as autoridades após sentirem um forte odor que exalava do apartamento de Francinei. O corpo do educador estava em estado de putrefação. 

Equipes do Corpo de Bombeiros Militar, Polícia Civil e Centro de Perícias Renato Chaves estiveram no local para analisar a cena do crime e remover o corpo.

O Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras em Educação Pública de Belém (Sintepp Belém) manifestou, por meio de nota, “luto e indignação” pela morte do educador. 

Por nota, a Polícia Civil informou que "um suspeito está sendo apresentado pela Polícia Militar, na sede Divisão de Homicídios" e que "as autoridades policiais ainda estão fazendo a verificação se ele, de fato, seria o autor do crime".

Veja a nota na íntegra. 

“O  Sintepp Belém vem manifestar, em nome de nossa categoria, Luto e Indignação. 

Na noite do último dia 10/01 o professor da Semec e Seduc FRANCINEI MONTEIRO foi encontrado morto em seu apartamento. Um assassinato brutal de um trabalhador que dedicou sua vida à escola, aos amigos e à família. EXIGIMOS JUSTIÇA E QUE PRENDAM OS ASSASSINOS COVARDES. 

O Sintepp Belém e nossa categoria organizaremos um ato exigindo justiça porque não vamos calar enquanto não haja a punição dos responsáveis pelo brutal assassinato do professor. 

Prestamos nossa solidariedade à família, com dor, machucada e sem entender os motivos dessa barbaridade. 

Solidariedade aos colegas das EM Ida Oliveira, EM Josino Viana e EM Manuela Freitas, Nied. Seduc e os espaços onde o professor trabalhou com o ensino religioso e informática educativa. 

EXIGIMOS JUSTIÇA, EXIGIMOS INVESTIGAÇÃO E PRISÃO DOS ASSASSINOS”.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS