Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$

Notícias / Polícia

ABAETETUBA

Bandido atira em carro e mãe é morta e filho vai parar no hospital

O atentado aconteceu na noite de anteontem. O autor dos disparos fugiu e está sendo procurado. O caso segue sendo investigado por policiais civis.

quinta-feira, 07/01/2021, 11:43 - Atualizado em 07/01/2021, 11:43 - Autor: J.R Avelar


Um inquérito policial foi aberto, na manhã de ontem, para apurar as circunstâncias que levaram ao assassinato.
Um inquérito policial foi aberto, na manhã de ontem, para apurar as circunstâncias que levaram ao assassinato. | FOTOS: DIVULGAÇÃO

Um inquérito policial foi aberto, na manhã de ontem, para apurar as circunstâncias que levaram ao assassinato de Renata Patrícia Matos da Silva, de 35 anos, e o baleamento do filho dela, Thiago Carmelo da Silva Carneiro, 18 anos. O crime aconteceu no bairro da Angélica, em Abaetetuba na região nordeste do Pará.

Segundo as informações constantes no registro do crime, na noite de anteontem policiais militares foram informados que mãe e filho deram entrada na Unidade de Pronto Atendimento de Abaetetuba. Foram baleados.

O crime teria ocorrido na 9ª Rua do bairro Angélica, quando as vítimas estavam em um carro e foram baleadas por um homem que caminhava pelo local. Ele percebeu o veículo estacionando, sacou uma arma de fogo e começou a atirar.

Os tiros foram desferidos contra o para-brisa do veículo e acertaram Renata quatro vezes, no tórax e ombro. Ela chegou morta à Unidade de Pronto Atendimento (UPA). O filho dela foi baleado na região glútea e não corre risco de morte.

PERÍCIA

O veículo que mãe e filho estavam foi levado para a delegacia de Polícia Civil de Abaetetuba e será periciado. Logo após o atentado, policiais militares das viaturas 3102 e 3105 fizeram buscas, mas não conseguiram prender o assassino, que está foragido.

Ninguém da família informou se Renata estaria recebendo ameaças de morte. O crime está sendo investigado e, até o fechamento dessa edição, o autor não havia sido preso.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS