Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis


31°
R$

Notícias / Polícia

CRIME

PF faz operação contra tráfico internacional de drogas no Pará 

quarta-feira, 04/09/2019, 10:41 - Atualizado em 04/09/2019, 10:41 - Autor: Diário Online


Suspeito de alvo da operação no Pará, não foi localizado, segundo a Polícia Federal.
Suspeito de alvo da operação no Pará, não foi localizado, segundo a Polícia Federal. | Reprodução

A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira (4) a Operação Ozark-Narco, com o objetivo de desarticular um grupo criminoso que atuava no tráfico internacional de drogas, e que contava com o apoio do ex-prefeito do interior do Estado de Goiás.

No Pará, foi cumprido um mandado de busca e prisão temporária no município de São Félix do Xingu, no sudeste paraense, mas segundo a PF, o alvo não foi localizado.

Além do Pará e em Goiás, cerca de 130 policiais federais cumprem a 50 mandados judiciais expedidos pela 5ª Vara Federal de Goiás, sendo 25 mandados de prisão e 25 mandados de busca e apreensão, no Estados de São Paulo, Minas Gerais e no Distrito Federal.

São alvos desta operação pessoas ligadas a um dos maiores traficantes do país, que mesmo estando atualmente cumprindo pena em regime semiaberto, coordenava a internalização da cocaína dos países produtores, através de pequenos aviões, utilizando o Estado de Goiás como ponto de armazenamento do carregamento e apoio do grupo para posterior envio da droga à Europa, juntamente com cargas lícitas despachadas em containers em navios.

De acordo com as investigações, iniciadas no começo do corrente ano, o grupo criminoso foi responsável pelos recentes envios de carga de cocaína para países da Europa, através dos portos de Santos e Itajaí.

Ainda segundo as investigações, o dinheiro oriundo do crime era investido na aquisição de empresas dos mais variados ramos comerciais, na tentativa de dar aparência lícita ao dinheiro obtido com os lucros do tráfico de drogas.

Os investigados responderão por tráfico internacional de drogas, cuja pena máxima pode alcançar 25 anos, sem prejuízo de demais implicações penais ao final das investigações. 

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS