Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
23°
cotação atual R$

Notícias / Polícia

FALSIDADE IDEOLÓGICA

Homem é preso após usar nome do primo já morto para cometer crimes

quarta-feira, 31/07/2019, 18:48 - Atualizado em 31/07/2019, 18:48 - Autor: Marli Portilho


A PC informou que Joel agora ficará à disposição da justiça e responderá pelos delitos praticados.
A PC informou que Joel agora ficará à disposição da justiça e responderá pelos delitos praticados. | Divulgação/Polícia Civil

A Polícia Civil do Pará cumpriu na última segunda-feira (29) em Bragança, nordeste do estado, o mandado de prisão preventiva contra Joel Souza Pinheiro, pelo crime de falsidade ideológica.

De acordo com a polícia, o acusado estava usando o nome do primo já morto para cometer crimes. A prisão foi decretada pelo Juiz Otávio dos Santos Albuquerque, da 2ª Vara do Juizado de Violência Doméstica Contra Mulher de Belém.

Durante a prisão,  foi descoberto que o suspeito já havia praticado o crime de feminicídio contra a ex-mulher, o fato ocorreu em dezembro de 2006 em Belém.  Joel foi preso em frente à residência, enquanto fumava um cigarro.

Durante a prisão, o suspeito ainda tentou enganar a polícia,  na abordagem dizendo que não sabia o nome da mãe, desconfiados os agentes fizeram uma consulta no sistema e descobriram a falsidade ideológica.

Segundo as autoridades, Joel praticava o crime de falsidade ideológica usando a identidade real de um primo de nome Rodrigues Correa Leal, já falecido, e com o acusado foi encontrado os seguintes documentos : Registro Geral (RG), Certidão de Pessoa Física (CPF) , Título de Eleitor, reservista e carteira do Sistema Único de Saúde (SUS).

Após a identificação criminal, Joel confessou que matou sua ex-companheira em 2006. Ele já estava vivendo com outra mulher. A atual companheira desconhecia o crime de homicídio praticado pelo acusado. 

A PC informou que Joel agora ficará à disposição da justiça e responderá pelos delitos praticados.  

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS