Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
26°
cotação atual R$

Notícias / Polícia

CASTANHAL

Presa no Pará mulher que mandou matar o amante

quinta-feira, 11/07/2019, 18:20 - Atualizado em 11/07/2019, 20:17 - Autor: DOL com informações de Marcos Onias/RBATV


A mulher teria matado por não aceitar o fim do relacionamento
A mulher teria matado por não aceitar o fim do relacionamento | Divulgação

Foi detida, nesta quinta-feira (11), no município de Castanhal, nordeste paraense, Edineuza Pereira Leão, condenada por ser a mandante do assassinato de José Alonço Lopes Leite, que era amante dela. O crime foi cometido no dia 16 de agosto de 2013, na cidade de Breves, no Marajó, quando a vítima completaria 22 anos. 

Na época do crime, Edineuza Leão vivia em união estável com um comerciante local por 19 anos, com quem teve quatro filhos. Insatisfeita com o casamento, mantinha um relacionamento extraconjugal de um ano com o universitário Alonço, funcionário público municipal, à época com 21 anos, e que, naquele ano, se formaria em Pedagogia.

Em 2013, Edileuza foi presa, confessou o crime, mas logo depois foi beneficiada com um alvará de soltura do Supremo Tribunal Federal. A acusada foi condenada no ano de 2017 a 26 anos de prisão e, desde sua condenação, estava na condição de foragida da Justiça.

Crime Passional

A polícia chegou à ré ao saber, por moradores, que o marido dela havia descoberto o  relacionamento amoroso extraconjugal. Nas investigações, a ré inocentou o marido, alegando que ele não sabia de nada. 

Ela sustentou ainda que teria sido induzida pelo executor, um mototaxista recém chegado ao município. Segundo essa versão, o mototaxista teria se comprometido a dar só “um susto” no universitário, por ele, supostamente, tê-la extorquido financeiramente.  

Ela contou que a relação com o comerciante teria esfriado nos últimos anos por causa de infidelidade do marido, e que o casal passou a manter um casamento de aparência. A mulher disse que estava se relacionando há um ano com a vítima e que estaria apaixonada e pensando em se separar do comerciante para viver com o jovem amante. 

Porém, ao retornar de uma viagem da capital, descobriu que ele tinha arranjado uma namorada na região e não estaria mais atendendo seus telefonemas.

Atraído para a morte

No dia do aniversário do jovem, a mulher convenceu Alonço a encontrá-la em um motel da cidade. O executor seguiu o casal e, ao encontrar a vítima, mandou que ele se ajoelhasse para morrer, desferindo um tiro na testa, fugindo do local e da cidade.

Os 26  anos de reclusão, ela deve cumprir em regime inicial fechado, na penitenciária feminina da Região Metropolitana de Belém. 


Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS