Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis


24°
R$

Notícias / Notícias Pará

Notícias Pará

Pedestres se arriscam em meio a buracos nas calçadas de Belém

quarta-feira, 13/02/2019, 07:50 - Atualizado em 13/02/2019, 07:51 - Autor:


O direito de ir e vir está comprometido. Nas calçadas de Belém, pedestres enfrentam dificuldades por causa dos buracos que tomam conta desses espaços. Jovens, crianças, idosos e pessoas com deficiência fazem malabarismos ao transitar em diversos trechos. Em alguns casos, precisam invadir a via destinada para veículos porque as condições são precárias.


Em um breve passeio por Belém, não é difícil encontrar calçadas com problemas estruturais. Na avenida Almirante Barroso, trechos próximos a travessa Humaitá e Mauriti, por exemplo, o que não falta é reclamação, afinal, os pedestres precisam desviar da buraqueira que toma conta do espaço, se arriscando, por vezes, na pista, como a professora Joseana Nunes, 30, que, para prosseguir na calçada entre as travessas Humaitá e Vileta, teve de ir para a pista. “É complicado porque se uma pessoa vier andando distraída, pode cair e se machucar. Precisa estar bastante atenta para desviar. Há muitos pontos da cidade assim”, reclama.


ACIDENTE


Com os passos limitados, a chefe de cozinha Nilza Melgaço contou ao DIÁRIO que já caiu na calçada por causa de um buraco, em plena avenida Nazaré, no centro da cidade. “Foi horrível. As calçadas em Belém são péssimas. São muitos buracos, falta de nivelamento... é ruim para todos e, para mim, que tenho dificuldade para andar, é ainda pior”, critica.


Ainda na Almirante, em frente ao Bosque Rodrigues Alves, parte da calçada formada por pedras está solta, dificultando a locomoção para quem anda por ali e quem costuma correr e caminhar. “A gente tem de ter muito cuidado. Numa pequena distração, a gente pode sofrer uma queda feia por causa desses buracos. E isso está assim já faz tempo. Como ninguém ajeita, a situação só piora”, dispara Márcio Lopes, 39, autônomo e morador no bairro do Marco.




ROMPIMENTO


Em outro ponto da cidade, já na rua Gaspar Viana, bairro do Reduto, próximo a avenida Visconde de Souza Franco, a situação é ainda pior. Parte da calçada lateral do Ginásio Altino Pimenta está cedendo e a população desabafa. “A gente paga impostos para ter benefícios simples como as calçadas em boas condições. Para mim, que não tenho nenhuma dificuldade para andar, já é muito ruim, imagina para quem tem. O pior que esse problema está no centro, que não era para ter”, critica Diego Silva, 23, vendedor.


O QUE DIZ A PREFEITURA


A Secretaria Municipal de Urbanismo esclarece que os problemas de calçadas serão solucionados com a conclusão da licitação de manutenção de calçadas, ainda este mês.



(Michelle Daniel/Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS