Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis


31°
R$

Notícias / Notícias Pará

Notícias Pará

Movimento no terminal rodoviário é intenso; veja o preço das passagens para o interior

sexta-feira, 28/12/2018, 07:55 - Atualizado em 28/12/2018, 08:09 - Autor:


Com a proximidade das festas de fim de ano, aumenta o número de pessoas que deixam a capital a procura das praias e interior do estado para aproveitar a virada. Entre as opções disponíveis a quem vai viajar, o transporte rodoviário ainda é o mais procurado, enquanto os destinos mais visados continuam sendo as praias de Mosqueiro, Salinas, Marudá, Bragança e Soure.


Apesar da alta na procura, é bom lembrar que os preços das passagens sofreram reajuste este ano. Uma pesquisa do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos do Pará (Dieese/PA), mostra que houve um acréscimo de 12,6% no preço da passagem do transporte Intermunicipal de passageiros, em relação ao mesmo período do ano passado. Já as viagens para outros estados tiveram aumento menor, na faixa de 10,139%, autorizado pela Agência Nacional de Transportes Terrestre (ANTT).


De acordo com a Sinart, empresa que administra o Terminal Rodoviário de Belém, os ônibus que deixam a capital devem receber um aumento em torno de 33.200 passageiros, o que representa 5% a mais sobre a média anual registrada, de 123 mil passageiros embarcados. Para as empresas de ônibus, a solução é aumentar a frota e os horários disponíveis para viagens.


Logo depois do Natal, aumenta a procura por passagens até as vésperas do Réveillon. E, por conta disso, muitas empresas decidiram colocar vários horários extras para Salinas, Bragança, Marabá. Há também quem prefira o transporte alternativo. Nesta categoria, o aumento na demanda recai, sobretudo, para locais como Salinas, Marudá, Cametá e Curuça.


LINHA URBANA


Para quem não quer gastar muito ou quer evitar horas de viagem, Mosqueiro continua com a preferência dos banhistas. A opção da linha urbana, com saída na Praça do Operário, custa R$ 5,30, com saídas diárias em vários horários, teve um aumento de 6% em relação ao ano passado. Quem deseja utilizar a opção com saída do terminal, pagará a quantia de R$ 12,00.




Virada do ano deverá ter chuva, segundo o Inmet


A previsão do tempo para a virada de ano mostra que haverá chuva do dia 29 de dezembro ao dia 1º de janeiro em quase todo Estado. A informação é do Instituto de Meteorologia do Pará (Inmet). De acordo com os dados, deve fazer sol, chuva de leve intensidade e tempo nublado na capital e parte das praias mais procuradas, como Mosqueiro, Marudá, Ajuruteua, Soure e Bragança.


De acordo com o diretor do Instituto, José Raimundo, as chuvas previstas para as regiões praianas, embora possam ocorrer durante toda virada de ano, não devem afetar as festas. “Todos os dias de modo geral vai acontecer chuvas nas regiões de praia, com maior concentração nos dias 29 e 30. Sábado e domingo serão chuvosos, com melhoria no dia 31 nas regiões de Bragança, Ajuruteua, Salinas e Marudá.


Na região Metropolitana de Belém as chuvas também devem ocorrer em maior concentração nos dias 29 e 30, predominantemente no final da tarde e início da noite”. Segundo ele, os índices pluviométricos não devem ultrapassar 30 milímetros, ou seja, sem tempestades fortes. A expectativa é que o céu fique nublado e encoberto de tarde, com frequência de chuva fraca moderada em vários horários. No dia 31 predomina céu nublado pela manhã, com chuva fraca à tarde e início da noite. A temperatura máxima deve atingir os 33º C.


Nas ilhas próximas a Belém, como Cotijuba e Mosqueiro, devem ocorrer chuvas de leve intensidade entre os dias 29 e 1, no período da tarde e noite. 


Nas regiões de Marudá, Vigia, Colares e Curuçá, as chuvas terão maior concentração nos dia 29 e 30, normalmente sem previsão de horário definido. Já nos dias 31 e 1 de janeiro, o tempo deve melhorar. Em Bragança e Salinas é muito possível que não tenha chuva na virada do ano, com máximas de 32º C. Elas devem ocorrer com fraca intensidade no dia 29 e 30. Soure, na Ilha do Marajó, tem índices pluviômetros semelhantes a Marudá.


(Luiz Guilherme Ramos/Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS