Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis


23°
R$

Notícias / Notícias Pará

Notícias Pará

Você sabe como funcionam os radares? E onde estão em Belém? Veja aqui no DOL!

sexta-feira, 19/10/2018, 09:25 - Atualizado em 19/10/2018, 14:16 - Autor:


O excesso de velocidade e avanço de sinal ainda são as maiores causas de atropelamentos e de acidentes nas ruas de Belém. Os radares são responsáveis por aferir estes tipos de infrações.


Segundo o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), estas infrações devem ser punidas com advertência por escrito, multa e até mesmo a suspensão do direito de dirigir.


Mas, você sabe onde estão instalados os equipamentos de fiscalização eletrônica pelas ruas da capital paraense?


VEJA:



VIAS


Segundo o mapa divulgado pela Superintendência de Mobilidade Urbana de Belém (Semob), os radares estão nas principais vias de Belém como a rodovia Arthur Bernardes, avenida Independência, avenida Júlio César, Avenida Augusto Montenegro, avenida Centenário, avenida João Paulo II, avenida Almirante Barroso, Avenida Duque de Caxias, avenida Pedro Álvares Cabral, avenida Senador Lemos, avenida Ceará, avenida José Malcher, avenida Conselheiro Furtado, travessa Benjamin Constant, avenida Nazaré, avenida 16 de Novembro, avenida Almirante Tamandaré e avenida Roberto Camelier e avenida Doutor Freitas.



MANUTENÇÃO E COMO FUNCIONAM?


De acordo com a Semob, a manutenção dos radares é feita por meio de limpeza nas câmeras, verificação da integridade dos cabos, entre outras ações pela empresa responsável pelos aparelhos. Contudo, os radares permanecem lacrados. Já a aferição é realizada anualmente pelo Imetropará.


A velocidade é calculada por dois ou três sensores no asfalto. Quando um carro passa por cima, eles enviam sinais para o computador. Os sensores estão ligados à câmera. Quando acusam alta velocidade, ela é acionada. Os modelos digitais tiram fotos, além de possuirem um programa que identifica a placa. 


As imagens são criptografadas com informações que incluem data, velocidade e local. O material é enviado via modem celular ao órgão de trânsito para um software de análise. As câmeras filmam sem parar, mas só gravam quando os sensores acusam a infração


Os dados são analisados por um operador, que pode registrar a infração, gerando um arquivo impresso enviado ao condutor, ou anular a multa. Nesse caso, as informações (inclusive a justificativa da anulação) ficam armazenadas para auditoria interna.


(DOL com informações da Super Interessante)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS