Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
25°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

Notícias Pará

É possível sim ter uma vida saudável. Veja como!

domingo, 05/08/2018, 09:43 - Atualizado em 05/08/2018, 09:51 - Autor:


A busca por um corpo bonito saudável é o sonho de quase todo mundo, mas o problema é que o caminho para isso nem sempre é dos mais fáceis. Quem conseguiu passar pelo “estágio probatório” da vida fitness, e engrenou, garante que os resultados tornam tudo mais fácil, e dão dicas valiosas para quem está inclinado a encarar o desafio, mas ainda precisa de um pouco mais de força de vontade.


A médica Suzanne Vianna leva o que se pode chamar de vida saudável há dois anos e meio. Foram dez anos de dietas frustradas, médicos e remédios até ela finalmente se convencer de que para mudar precisaria mudar o estilo de vida. “Foi por saúde e por estética mesmo. E foi muito difícil. Só que os resultados logo vieram, e o que era forçado passou a sernatural”, lembra.




Hoje, Suzanne Vianna não abre mão dos exercícios (Foto: Ricardo Amanajás/Diário do Pará)


O primeiro passo foi comer direito e, em seguida, achar uma atividade física que agradasse. Hoje ela se diz marmiteira e “crossfiteira” assumida, mesmo quando está viajando. “Aprendi, com muito esforço, que não podemos deixar nossa saúde em segundo plano. Minha rotina de alimentação anda comigo para cima e para baixo”, confirma.


Todo o esforço do início para cá trouxe compensações, a médica garante. “Saúde, amor próprio, aceitação e saúde mental são meus troféus. Não consigo enxergar desvantagem alguma”, reforça. Inclusive o financeiro. “Custa caro, mas dá para encontrar uma alternativa. Ainda tenho uma certa dificuldade para encontrar certos produtos em Belém”, lamenta.



Atividades físicas também melhoram a autoestima e a saúde mental


A publicitária Lívia Magno representa 80%, 90% das pessoas que têm ou tiveram problemas com peso e má alimentação: deixaram a rotina profissional tomar conta de todo o tempo que pudesse haver para manter qualquer hábito minimamente saudável. Foi há um ano, no auge da vida sedentária, que ela resolveu buscar ajuda médica. “Estava cheia de dores de cabeça, crises semanais de enxaquecas, fora as crises de ansiedade, ou seja, uma verdadeira bomba relógio”, lembra. “Finalmente tomei vergonha na cara e marquei uma consulta com um endocrinologista”, recorda.


A bateria de exames pedida revelou muita gordura no fígado, além de resistência a insulina e outros problemas. “Dizem que a gente aprende de duas formas: pelo amor e pela dor. No meu caso, foi pela dor, infelizmente”, reconhece. A Lívia de hoje, visualmente e emocionalmente nem se compara a de dezembro de 2016. Hoje ela pratica pilates três vezes por semana, onde ela encontrou a forma de tentar resolver a prática de atividade física, já que não gosta de academia e tem preguiça de caminhar/correr.


Na alimentação, em casa ou fora, come comida “de verdade” e passa longe de fast foods, congelados, industrializados ou embutidos. “Hoje eu tiro de letra isso, vou a qualquer lugar e fico de boa, sem cair em tentação, mas sempre procuro ir a lugares onde eu sei que vai ter comida pra mim, já meio que mapeei isso em Belém”, conta.


O emagrecimento foi apenas uma das novidades que tornou a vida dela melhor. “Eu comecei a ver a diferença nas roupas, as dores de cabeça já não eram tão frequentes. Não vejo desvantagem em você querer ter uma vida mais saudável, eu só acho que as pessoas deveriam cada vez mais cedo ser conscientes disso”, analisa, que acabou puxando o marido para a nova rotina: ela perdeu 17 quilos, e ele, 20 quilos.



Neto Meireles mantém uma disciplina rigorosa quando o assunto é a alimentação (Foto: Wagner Santana/Diário do Pará)


Disciplina é a melhor orientação


Para muitos, o advogado Neto Meireles ganhou na loteria do corpo saudável. Magro desde sempre e adepto à prática de esportes há 12 anos, ele nunca teve problemas com a balança, mas em dezembro de 2016 resolveu mudar a rotina embusca de ganho de massa e aumento do índice de massa corporal.


Ironicamente, seu problema em conseguir isso era justamente a alimentação ruim. “Nessa época eu decidi que precisava me alimentar melhor se quisesse ter mais disposição e resultados nos treinamentos. Comecei de fato a seguir uma dieta voltada especificamente pra mim, junto à musculação e ao crossfit”, relata ele, que não dispensa um futebol com os amigos aos finais de semana.


O fato de trabalhar por conta própria facilita. Neto conta com a ajuda de um nutricionista. “Procuro sempre encaixar o cardápio quando saio para um cinema, ou quando viajo com os amigos, evitando fugir da dieta por qualquer desvio de rotina”, justifica. “Hoje eu tenho muito mais disposição. Tive uma grande mudança estética, apesar de sempre sermagro. Perdi muita gordura que nem sabia que existia, o que me garantiu mais definição muscular”.


Na ponta do lápis Neto também confirma que comer e se exercitar tem sim um certo custo, mas que ele encara como investimento. No caso dele, uma dieta bem balanceada dispensou a necessidade de suplementação, o que já gera uma economia. “Sou bem viciado em exercícios, acabo querendo ir treinar todo dia, sem falar que sempre aparece alguém pra chamar pra jogar uma bola, né?”, admite.


(Carol Menezes/Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS