Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis


25°
R$

Notícias / Notícias Pará

Notícias Pará

Servidores da UFRA devem paralisar na quarta-feira

segunda-feira, 18/06/2018, 14:25 - Atualizado em 18/06/2018, 15:54 - Autor:


Na manhã da última quinta-feira (14), os servidores técnico-administrativos da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) realizaram assembleia geral da categoria na sede da seção sindical do Sindtifes da universidade e decidiram pela aprovação de uma paralisação na próxima quarta-feira (20).


A escolha do dia 20 não foi à toa, como ressalta o o coordenador do Sindtifes, Cleber Coelho. "Esse dia é extremamente importante para a nossa categoria, pois será votada, no Supremo Tribunal Federal (STF), a data-base para o funcionalismo federal. O que é uma bandeira antiga do funcionalismo público (federal, estadual e municipal). Desde o ano de 2015 estamos sem reajustes e o governo sinaliza que isso só será realizado em 2020, e a categoria entende que não dá para caminhar dessa forma, pois o poder de compra do servidor públlico está defasado." 


Dentre as principais pautas da paralisação está o direito dos servidores públicos federais terem data-base para reposição salarial, uma conquista que no país é garantida somente aos trabalhadores celetistas, pois não há regulamentação em lei de negociação coletiva e direito à data-base para os servidores estatutários. Outro ponto a ser destacado é o congelamento de verbas do setor público, o que causa diretamente cortes em pesquisa, investimento nas universidades e precarização dos hospitais universitários, os quais, além de servir como suporte ao ensino e aprendizagem, são importantíssimos na prestação de serviços à sociedade.


Cerca de 600 servidores da UFRA devem aderir à paralisação, o que pode impactar as atividades de mais de cinco mil alunos, entre os campi de Belém e do interior do estado. Caso não haja negociação com o governo, há grandes chances dos servidores públicos entrarem em estado de greve por tempo indeterminado.


(Com informações do Sindtifes)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS