Notícias / Pará

EDIÇÃO ELETRÔNICA

Protestos contra Hydro ganham repercussão internacional

Segunda-Feira, 18/12/2017, 08:52:29 - Atualizado em 18/12/2017, 11:37:49 Ver comentário(s) A- A+

Protestos contra Hydro ganham repercussão internacional  (Foto: via WhatsApp)
Os moradores ocuparam a prefeitura de Barcarena e fecharam o acesso às fábricas para protestar contra a poluição causada pela empresa. (Foto: via WhatsApp)

Moradores de Barcarena, no nordeste paraense, realizam na madrugada desta segunda-feira (18) um novo protesto contra a presença da mineradora Hydro no município. Os manifestantes bloquearam o acesso à fábrica da Hydro e ocuparam a sede da prefeitura pra se manifestar contra as bacias de rejeito químico da empresa na cidade.

Os moradoresse concentraram na frente da empresa por volta das 3h, quando montaram uma barricada na pista com entulhos e pneus queimados, impedindo completamente a entrada de trabalhadores no local. Já durante a manhã, eles realizaram uma caminhada pelas ruas da cidade até a prefeitura, ocupando o local durante uma protesto para pressionar o poder público a tomar medidas contra a empresa.

Veja imagens do protesto.

A população bloqueou o acesso à empresa. (Foto: via WhatsApp)

A população local e veradores do município suspeitam que tenha ocorrido uma liberação não autorizada por parte da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) para o funcionamento das ações da Hydro, e que a prefeitura não também não tenha concedido nenhum alvará, o que apontariam uma possível irregularidade na condução das autorizações por parte da empresa.

"A prefeitura havia afirmado que não tinha liberado licença ambiental para essa ação da Hydro, mas a empresa afirma que tem. Então ocupamos a prefeitura para cobrar uma resposta final sobre isso", afirma a manifestante Silvia, moradora da região do rio Arienga, uma das áreas afetadas.

"Temos que ter um posicionamento sobre essa situação, que está insustentável. Eles abrem essas bacias de dejetos e a gente fica sofrendo, com tudo poluido. Nossas crianças estão com coceira, não podemos cavar poços porque está tudo poluido. Não temos como viver assim", completou a manifestante.

Os moradores já haviam realizados outros protestos similares nos últimos dias, interditando as vias de acesso ao local. Eles afirmam que a Hydro devastou uma área correspondente a cerca de 2500 campos de futebol, removendo solo,  desmatando, tudo para fazer as bacias de rejeitos, causando problemas ambientais. 

Os moradores reivindicam a apresentação de um plano de melhorias ambientais pela empresa e também aguardam a decisão da justiça após uma liminar que pede a paralisação das ações da Hydro na cidade.

REPERCUSSÃO INTERNACIONAL

Um dos principais jornais da Noruega, o Dagens Naeringsliv (DN) divulgou no domingo os protestos da comunidade de Barcarena contra a Hydro, proprietária das usinas da Albras e Alunorte no município. “Alerta vermelho na Hydro no Brasil”,  diz a manchete. Além de descrever as ações dos moradores, com o bloqueio das vias de acesso e  queima de árvores na estrada, a matéria do DN revela que os cidadãos exigem do grupo norueguês compensação por danos ambientais, denunciando a contaminação da água potável e os prejuízos gerados pela produção da alumina à saúde das pessoas. 

O jornal norueguês mostrou a reação da população barcarena contra a empresa Hydro. (Foto: reprodução)

Segundo a reportagem, para cada quilo de alumínio derretido na Noruega, quatro quilogramas de lodo vermelho são armazenados em Barcarena. O aterro se estende por uma área cada vez maior e, quando o tempo está seco, a cidade fica coberta por grandes nuvens de poeira vermelha. A reportagem do DN revela que as manifestações, que se intensificaram a partir de agosto, tiveram como mote a reação à contratação de mão-de-obra externa. Enquanto a Hydro mantém algumas das maiores fábricas do Brasil no município, Barcarena sofre com altos índices de desemprego, reforçando a percepção de que a população arca com os prejuízos e não recebe nenhum benefício em troca.

(DOL)







Comentários