Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis


29°
R$

Notícias / Notícias Pará

Notícias Pará

Morre baleia que encalhou em Marapanim

terça-feira, 18/10/2016, 17:59 - Atualizado em 18/10/2016, 18:20 - Autor:


A Baleia Minke que encalhou próximo ao município de Marapanim, no Pará, no início do mês foi encontrada morta nesta terça-feira (18). O corpo do animal foi localizado por biólogos e veterinários da Universidade Federal do Pará (UFPA) e da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) dentro da Reserva Extrativista Maracanã, a cerca de 28 km da cidade de Marapanim, onde foi avistada pela última vez.


De acordo com os integrantes do Grupo de Pesquisa em Biologia e Conservação de Mamíferos Aquáticos da Amazônia (BioMA), vários funcionários ajudaram nas buscas e na realização do exame, mas devido ao estado de decomposição da carcaça e a localização do animal não foi possível realizar uma necropsia completa.


“As caracterísitcas morfológicas indicam que é uma Minke Antástica (Balaenoptera bonaerensis), o que deve ser confirmado pelos exames de tecidos, órgãos e fluídos que coletamos do animal, mas não teremos como apontar a causa da morte já que o corpo estava em avançado estado de decomposição e foi encontrado durante a maré alta próximo a um manguezal, o que impossibilitou que fizéssemos uma necropsia completa”, informa Gabriel Santos Melo, biólogo e doutorando do Núcleo de Teoria e Pesquisa Comportamento da UFPA (NTPC).


Baleia Minke não foi a única da espécie encalhada no Pará 


O especialista em cetáceos revela que essa espécie frequenta o litoral paraense e costuma viver em águas mais profundas. Mas “não é o primeiro que encontramos encalhado. Já vimos esta espécie presa na área de Santarém, no Oeste paraense, porém, não é comum que elas cheguem tão perto da costa, nem que entrem nos rios”, ratifica o integrante do BioMA.


Os pesquisadores não sabem como o animal se perdeu. “Ela pode ter se ferido em um acidente envolvendo barcos ou pode ter alguma doença no sistema respiratório, que causa desorientação. De todo modo, ela estava debilitada e, estando ferida ou doente, poderia voltar e encalhar novamente. Por isso, continuamos a acompanhar a situação, mas, infelizmente, o animal não resistiu e morreu”, lamenta Gabriel Melo Santos.


(Com informações da UFPA)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS