Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

Notícias Pará

Supremo e PF investigam Wlad

domingo, 23/11/2014, 11:10 - Atualizado em 23/11/2014, 11:10 - Autor:


No dia 7 de agosto, logo após a compra da luxuosa cobertura, Wladimir Costa voou de Brasília para o Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro e no mesmo dia voou do Aeroporto do Galeão para Belém. No dia 5 , a Câmara dos Deputados havia pago uma passagem pela cota parlamentar de Wlad para Rosana Nicodemos, que saiu de Belém, para Brasília e depois para o Rio de Janeiro. Esta funcionária retornou para Belém no dia 6 de agosto.


Rosane do Espírito Santo Nicodemos é irmã da atual secretária de Esporte e Lazer do Governo do Estado do Pará, Renilce Conceição do Espirito Santo Nicodemos Lobo. Na semana passada o DIÁRIO publicou matéria informando sobre o Inquérito 3.884, aberto no Supremo Tribunal Federal (STF) que investiga as estreitas ligações de Wladimir Costa com o governador Simão Jatene através do comando da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer.


A denúncia feita pelo Ministério Público Federal e encaminhada para o STF pela Procuradoria Geral da República informa que a organização não governamental Instituto Nossa Senhora de Nazaré de Educação, Esporte e Lazer de Barcarena, indicada por Wladimir Costa, fez um convênio no valor de R$ 230.000,00 de recurso da Seel para realizar um torneio de canoagem que nunca aconteceu. O dinheiro foi sacado da conta em espécie, no mesmo dia em que a ONG recebeu o dinheiro, o que chamou a atenção do COAF, órgão que controla as operações financeiras no Brasil. ligado ao Ministério da Fazenda.


A estranha movimentação fez com que o COAF informasse o Ministério Público Federal sob as suspeitas e, após as investigações, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, apresentou denúncia ao Supremo sobre as irregularidades da operação e concluiu pelo envolvimento do deputado Wladimir Costa no caso.


A denúncia foi recebida pelo ministro Dias Toffoli, que mandou a Polícia Federal investigar o caso e também a suspeita de compra de um apartamento em Copacabana, no Rio de Janeiro, pelo valor de R$ 6 milhões, por pessoas ligadas ao parlamentar.


De agosto a dezembro de 2013 Wladimir Costa e seus assessores, entre eles o chefe de gabinete James Frederico Medeiros fizeram ao todo 23 viagens de ida e volta para o Rio de Janeiro, partindo ou de Belém ou de Brasília.


As viagens continuaram sendo feitas à custa do erário em 2014. No total, apenas nos anos de 2013 e 2014 o deputado paraense e seus assessores visitaram o Rio de Janeiro mais de 51 vezes. Todo o detalhamento está disponível na página da Transparência da Câmara dos Deputados no item Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (http://www.camara.gov.br/cota-parlamentar/)


O DIÁRIO mais uma vez procurou o gabinete do parlamentar paraense em Brasília. O chefe de gabinete, James Frederico solicitou que as perguntas fossem encaminhadas por escrito.


James Frederico de Medeiros informou mais tarde que o próprio deputado responderia aos questionamentos por telefone. Usando o WhatsApp Wladimir Costa disse que só falaria sobre as indagações do DIÁRIO pessoalmente, em Belém.


A repórter explicou que tratava-se de uma longa apuração que teve, inclusive a confirmação da investigação junto ao STF e uma viagem de apuração ao Rio de Janeiro feitos pela repórter, que é correspondente em Brasília, endereço de trabalho do parlamentar.


Wladimir Costa se recusou a ouvir a repórter por telefone e exigiu que ela fosse até Belém para entrevista-lo. Alertado de que seria impossível tal deslocamento, o parlamentar foi informado sobre os documentos que comprovam a compra do apartamento de cobertura tríplex em Copacabana em nome de sua mãe, Lucimar da Costa Rebelo.


(Diário do Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS