Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
30°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

Notícias Pará

Corpo de Almir Gabriel é sepultado em Castanhal

quarta-feira, 20/02/2013, 12:22 - Atualizado em 20/02/2013, 18:57 - Autor:


O cortejo com o corpo do ex-governador do Pará Almir Gabriel chegou ao cemitério São Francisco, em Castanhal, no início da tarde desta quarta-feira (20). Autoridades e a população acompanham o sepultamento. Na chegada do corpo, várias pessoas aplaudiram o ex-governador. Após descer da viatura, a urna, coberta por bandeiras, foi conduzida por homens do corpo de bombeiros.


O caixão com o corpo de Almir Gabriel foi recebido com três salvas de tiros e carregado por cadetes militares até o jazigo da família. Depois, pétalas de flores foram jogadas no local de um helicóptero do Grupamento de Segurança. A homenagem marcou o início da cerimônia e se repetiu várias vezes durante o sepultamento.


Por volta das 13 horas, Almir Gabriel foi enterrado, em meio a aplausos e os versos da música “Como é grande o meu amor por você”, de Roberto Carlos, ao lado dos pais Ignácio Cury Gabriel e Palmira de Oliveira Gabriel.


A despedida foi conduzida pelo capelão da Polícia Militar, padre Eloi Wayth, que acompanhava o ex-governador nos últimos meses. “Nas conversas na casa dele ou no hospital, embora fragilizado, ele tinha plena consciência do seu legado. Aquilo que ele realizou, não só como político, mas como pessoa, como médico, é o que fica. Tenho certeza que em cada um dos paraenses existe uma lembrança de Almir Gabriel”, afirmou o padre. Antes da missa, o chorinho "Carinhoso" foi cantado por Almirzinho Gabriel, filho do ex-governador.


Durante o sepultamento, o helicóptero do Governo do Estado lançou pétalas de flores. O corpo foi sepultado com todas as honrarias de um chefe de estado e ao som de músicas religiosas.


Nascido em Belém, Almir Gabriel se mudou ainda criança para Castanhal, cidade natal da família. Mais tarde voltaria à capital paraense para cursar o primário, o ginásio e o científico, os correspondentes, à época, do que seriam hoje os ensinos fundamental e médio. Aos 17 anos passou a dividir as horas de aula e os deveres de classe com o balcão da loja dele, em Castanhal.


(DOL, com informações da Agência Pará)

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS