Diário Online

Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
31°
cotação atual R$
DOL AJUDA

Família pede ajuda a paciente após AVC em razão da covid

Familiares da editora de imagem Patrízia Ainette fazem um apelo para a população paraense para ajudar no tratamento das sequelas deixadas pela doença

segunda-feira, 03/05/2021, 15:53 - Atualizado em 03/05/2021, 16:00 - Autor: DOL


Patrízia Ainette é profissional de TV e há anos trabalha na edição de imagens
Patrízia Ainette é profissional de TV e há anos trabalha na edição de imagens | Reprodução/Arquivo Pessoal

Além do temor que a covid-19 gera enquanto o paciente está internado e sob os efeitos do vírus, uma outra preocupação são as sequelas que a doença pode deixar na vida dos infectados.

Este é o caso da editora de imagens para conteúdos jornalísticos Patrícia Ainette, profissional reconhecida pela competência, carisma, bom humor e companheirismo dentro do ambiente de trabalho.

Patrízia Ainette, de 52 anos, luta para se recuperar de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) sequela deixada pela Covid-19. Familiares da editora fazem um apelo para a população paraense para ajudar no tratamento.

Na busca dessa ajuda tão importante, a filha de Patrízia, Larissa Ainette também recorreu ao DOL Ajuda, coluna disponibilizada pelo DOL para ajudar os leitores nos mais repletos problemas que vão desde o desaparecimento de uma pessoa ou outra questão humanitária.

Larissa informou que a mãe recebeu o resultado positivo para o novo cronavírus no ultimo dia 4 de março e que estava assintomática; quatro dias depois, ela foi para o hospital da Unimed BR, onde apresentou 25% do pulmão comprometido, fez medicações e em seguida orientada a ir pra casa com receita médica, custo dos medicamentos de R$ 500,00.

No dia 10/03 a saturação chegou a 89% SpO2, ela foi levada novamente às pressas para o hospital onde já teve o comprometimento de 50% dos pulmões, neste momento foi solicitado internação em um leito em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e desde então começou a sua batalha pela vida.

 

Reprodução/Arquivo Pessoal
 


Segundo Larissa, com a ajuda de amigos conseguiram um leito de UTI no hospital Beneficente Portuguesa e no dia 16/03 Patrízia foi entubada por duas vezes e depois de alguns dias entubada novamente, fez traqueostomia e recebeu alta para o apartamento e lá teve uma parada cardiorrespiratória e depois voltou para a UTI novamente.

 

Reprodução/Arquivo Pessoal
 

No apartamento, teve um AVC hemorrágico que deixou graves sequelas e totalmente dependente. Devido tudo que passou, Patrízia está abalada psicologicamente, e com a grade demanda nas despesas com o tratamento médico a família pede ajuda.

Ainda segundo Larissa, o custo de psicológico é R$200,00 por semana, diariamente técnicas de enfermagem (R$360,00), fonoaudiólogo (R$100,00). Fora os cuidados com higiene pessoal e alimentação especial. A família ainda teve que pagar por uma consulta psiquiátrica (R$900,00) para ajustar medicações da depressão, pois os remédios não fazem mais efeito devido às sequelas da Covid-19.

Até o momento Larissa consegui manter as despesas graças a ajuda de amigos, porém o dinheiro acabou. Devido o AVC, a condição de Patrízia exige muitos cuidados, e vai precisar de fisioterapia para recuperar os movimentos.

Quem puder ajudar a família pode entrar em contato pelo número (91) 98264-0048. Toda e qualquer ajuda será bem vinda!

 

Reprodução/Arquivo Pessoal
 


Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS