Diário Online

Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
24°
cotação atual R$
TECNOLOGIA

Hospital de Campanha do Hangar: videochamadas humanizam processo de tratamento contra a Covid-19

Em um ambiente que poderia ser rodeado de apreensão e incertezas, o carinho, afeto e a empatia ganham protagonismo

segunda-feira, 08/03/2021, 09:26 - Atualizado em 08/03/2021, 09:26 - Autor: Com informações da Pró-Saúde


Imagem ilustrativa da notícia Hospital de Campanha do Hangar: videochamadas humanizam processo de tratamento contra a Covid-19
| Ascom/ Pró-Saúde

Durante o isolamento físico, a tecnologia é uma grande aliada. Para amenizar a solidão e a saudade de casa, pacientes que lutam contra a Covid-19 no Hospital de Campanha do Hangar, em Belém, podem falar com seus familiares por meio de videochamadas.

Na maior unidade hospitalar criada para o tratamento da doença no Estado do Pará, gerenciada pela Pró-Saúde, a alternativa serve, também, para auxiliar no tratamento e melhora dos internados. “Esse contato é importante tanto para o paciente quanto para o familiar que há dias ou até semanas não tem contato físico. É uma conversa rápida que faz toda a diferença em vários aspectos”, afirma o psicólogo Rogis Coutinho.

A atividade faz parte do calendário de ações de humanização na Unidade que, atualmente, acolhe e cuida de mais de 200 pacientes. “Estar internado não é um processo simples. Se afastar de pessoas queridas que fazem parte do nosso convívio nunca é fácil. Então, entendemos que qualquer demonstração de afeto e amor é um afago, tanto para quem está dentro quanto para quem está fora do hospital”, explica a gerente de qualidade da Pró-Saúde, Viviane Lesses.

Entre as pessoas que estão sonhando com um abraço longo e apertado está Almir Neto, de 37 anos, filho de Maria Nazaré Tavares, 71. Na troca rápida de afetos, emocionado, ele declara amor à matriarca. “Te amo, mãe. Estamos lhe esperando em casa. Quando a senhora chegar, verá tudo diferente, nem vai acreditar”, diz ele durante a chamada de vídeo.

Almir, que também já foi acometido pela doença, conta que se sente abençoado por poder falar com a mãe. “Como a gente não pode ter contato físico, a chamada ajuda demais. É muito bom ver a minha mãe bem. Isso me tranquiliza. Nem sei mensurar a dor que é esse distanciamento. Mas eu me considero abençoado porque ela está bem e logo estará em casa”, afirma.

Para a idosa, que está internada há 17 dias, o sentimento é de gratidão. “Só de olhar a foto do meu filho e ver que ele está bem é incrível. Eu estava muito preocupada, mas agora que vi o rosto dele me sinto melhor. A vontade que eu tenho é de gritar um muito obrigada. Essa videochamada é uma maravilha para mim”, comemora.

O olhar marejado e a voz trêmula de Oliveiros Gomes, de 50 anos, não escondem a emoção e o alívio de ver que que a esposa, Suzana Sueli Furtado, 48, está bem e saudável. “É um privilégio ver quem você ama bem. Só a fisionomia já te fala muita coisa. Além do relato dela dizendo que está confortável e sendo bem tratada. Isso dá muita força. Eu agradeço muito por essa oportunidade e peço que não parem”, relata.

*Humanização que aproxima*

Durante todos os dias, videochamadas são realizadas no Hospital de Campanha de Belém. O familiar que desejar ter este momento precisa fazer a solicitação no setor de acolhimento e psicossociologia da unidade, no mesmo local onde os boletins diários são entregues, na entrada principal do Hangar.

 

Ascom/Pró-Saúde
 

Após isso, uma equipe multiprofissional que inclui psicólogo, médico e assistente social decide se, no momento, a ligação é favorável e agregará positivamente. Nesta análise, leva-se em consideração o quadro clínico do paciente.

| Ascom/ Pró-Saúde
| Ascom/ Pró-Saúde

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS