Diário Online

Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
28°
cotação atual R$
DOL AJUDA

Paraense precisa de remédio internacional que pode salvá-lo 

Mesmo com lives solidárias, coletas e vakinhas, o tão esperado remédio ainda não está circulando pelas veias do abaeteuara

quinta-feira, 04/02/2021, 22:02 - Atualizado em 04/02/2021, 22:01 - Autor: Monique Costa


Imagem ilustrativa da notícia Paraense precisa de remédio internacional que pode salvá-lo 
| Acervo Pessoal

O produtor de eventos Marcelo Marques, de 36 anos, enfrenta uma difícil luta pela vida após ser diagnosticado com câncer, em agosto de 2020, já no estágio avançado e agressivo da doença.

Agora, a família corre contra o tempo para arrecadar o valor necessário para a compra de um medicamento internacional, com resultados comprovados e capaz de aumentar as 'células boas e diminuir as cancerígenas'. 

"Fomos surpreendidos com essa notícia. O Marcelo é um paciente de risco por ser cardiopata. Já fomos a vários hospitais. Um médico deu apenas 30 dias para o meu marido após uma cirurgia e perceber o estado dele. Mas acreditamos que se ele já chegou até aqui, é porque Deus tem um propósito", explica a esposa de Marcelo, Adriana Oliver. 

De acordo com a abaetetubense, com a ajuda dos amigos, o tratamento foi avançando, mas, ainda assim, diante de lives solidárias, coletas e vakinhas virtuais, o tão esperado remédio ainda não está circulando pelas veias do abaeteuara e permitindo avanço em sua caminhada pela cura. 

 

 

"Uma amiga está com a mãe em tratamento também e nos doou algumas pílulas deste medicamento, percebemos uma melhora significativa no Marcelo, então a nossa única saída é conseguir o custo para comprar o remédio", diz Adriana, emocionada. 

Uma vakinha virtual no valor de R$10 mil foi criada com o objetivo de arrecadar o dinheiro necessário para importar o remédio  dos Estados Unidos. 

"A ideia surgiu de uma amiga nossa. Vivemos da música, eu sou cantora e ele é meu produtor e também trabalhava como produtor de eventos,  e já que não estamos podendo trabalhar, por conta da pandemia, foi uma forma de conseguirmos o valor para o custeio do tratamento dele", explica.

"Temos esperança e muita fé neste remédio. Meu marido quer viver e enquanto há vida, há esperança', conclui ela, emocionada. 

AJUDE

Para contribuir com o tratamento do abaetetubense Marcelo, clique no link da vakinha virual e doe o valor que puder, caso você queira contribuir de outra forma, ele está precisando de fraldas e claro, de sua oração. 

Marcelo está internado no Hospital Ophir Loyola, no bairro de São Brás, em Belém. 

Amigos em Abaetetuba, Maz Fera e Joanderson Sena, realizaram nesta quinta-feira (4) uma live solidária para arrecadar fundos. 


Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS