Edição do dia

Edição do dia

Leia a edição completa grátis

Previsão do Tempo
26°
cotação atual R$

Notícias / Notícias Pará

DIEESE

Frutas ficaram mais caras em 2020, diz pesquisa

Abacate, laranja pera, goiaba vermelha, melão amarelo e a melancia foram as que apresentaram aumentos expressivos

quinta-feira, 07/01/2021, 08:39 - Atualizado em 07/01/2021, 08:39 - Autor: Diário do Pará


| Agência Brasil

Grande parte das frutas comercializadas em feiras livres e supermercados da Região Metropolitana de Belém ficou mais cara em 2020. Abacate, laranja pera, goiaba vermelha, melão amarelo e a melancia foram as que apresentaram aumentos expressivos no último mês de dezembro. Os dados foram divulgados ontem pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos no Pará (Dieese-PA).

Ainda segundo o Dieese, algumas frutas sofreram reajuste acima da inflação de 5,00% que era prevista para o mesmo período, como é o caso da laranja pera, que ficou 44,88% mais cara. No último mês de dezembro, o quilo do produto chegou a custar em média R$ 3,68. Em seguida, o abacate foi a fruta que obteve o segundo maior reajuste no período custando 32,49% mais caro, cerca de R$ 11,50 cada quilo.

Trabalhando há anos no ramo de frutaria no Mercado Municipal da Pedreira, o feirante Nildo Moreira, 41 anos, conta que a variação do clima que ocorre ao longo do ano contribui para os aumentos. “Isso acontece principalmente no inverno, quando a procura por frutas em nossa região é grande, mas o abastecimento sofre uma queda. Devido às festas de fim de ano, alguns fornecedores tiraram um período de recesso, e a distribuição acaba sendo comprometida”, explica.

Nativa da região Amazônica, a pupunha também foi uma das frutas que sofreu aumento no preço ao longo do ano passado. Porém, quem entende muito bem do fruto garante que, nos próximos meses, os clientes ficarão satisfeitos com os valores. “Quando a gente fala de preço de frutas é preciso levar em consideração o período de safra. Claro que algumas, em determinada época do ano, sempre vão estar mais caras do que outras, e isso é normal”, disse o feirante Densio Monteiro.

O feirante, que trabalha há 40 anos na Feira da 25, uma das mais movimentadas da cidade, diz ainda que a maioria dos consumidores entende quando determinada fruta sofre aumento. “A gente explica a situação e porque precisou aumentar o preço para sempre ter aquela famosa negociação. Aqui sempre se dá um jeitinho para o cliente conseguir comprar”, diz.

OUTROS REAJUSTES

Ainda de acordo com a pesquisa, o quilo da goiaba vermelha sofreu uma alta de 13,59% em 2020. A banana prata também esteve no grupo de elevação de valores e custou 9,59% a mais no último ano. A manga rosa e a unidade do abacaxi ficaram igualmente mais caras e tiveram reajuste de 9,08% e 7,16% respectivamente. Ficaram mais caros ainda nos últimos 12 meses, o cupuaçu e o bacuri.

Entre as frutas que registraram quedas de preços estão o limão com recuo de 14,17%, seguido do mamão com queda de 7,43%.

Conteúdo Relacionado


0 Comentário(s)

MAISACESSADAS